SENHORES PAIS E MUNÍCIPES,

Nós, educadores das escolas municipais, há muitos anos temos alertado para as condições precárias da Educação nesta cidade.  Ano após ano, presenciamos a Educação pública de Santos piorar.  Chegou a hora de exigirmos as soluções!

A situação é tão ruim que muitos professores estão pedindo demissão (exoneração) da Prefeitura, e os principais motivos para isso são os baixíssimos salários e as péssimas condições de trabalho nas escolas. Em todas as escolas da Prefeitura faltam professores e funcionários.

Há professores concursados, em nosso município, que trabalham um mês para ganhar o salário base de R$ 132,76. Essa situação tem se arrastado por anos.

As condições físicas das escolas são outro problema gravíssimo: em nosso dia-a-dia, nos deparamos com situações extremamente difíceis, como salas superlotadas, falta de espaço físico para atividades lúdicas e desportivas, goteiras, infiltrações, vidros e ventiladores quebrados, espaços inacessíveis para alunos  com necessidades especiais, falta de segurança, computadores novos e parados porque não há quem os instale; esgotos que transbordam até em cozinhas, etc.

Toda esta situação interfere no ambiente de ensino-aprendizagem e prejudica a todos.  Escolas nessa situação são geradoras de descontentamentos, de desinteresses e facilitam o surgimento de casos de violência, como os que ocorreram nos últimos dias e foram noticiados pela imprensa.

A Prefeitura tenta colocar a culpa desses problemas nos professores; de forma irresponsável, tenta colocar a população contra os educadores. A culpa pelo desmantelamento do sistema municipal de ensino é da secretária de Educação e do prefeito, que pagam salários escandalosos e deixam as escolas em estado lamentável. Colocar a culpa nos professores e funcionários da Educação, após quase sete anos à frente da Prefeitura, é desrespeitar a inteligência da população.

Há ainda outro problema sério: a exploração de trabalhadores terceirizados, que não possuem nem mesmo o registro na carteira de trabalho. Eles estão na “Frente de Trabalho”, nos Programas Escola Total e Nossa Escola, além da Empreiteira Nova Era, que possui funcionários que chegam a ficar anos sem direito sequer às férias.

Defendemos a Escola Pública de qualidade, porque ela é um direito de todos. Esse é o nosso compromisso. Por ele não podemos nos calar diante da omissão mascarada pela propaganda enganosa desse governo.  

Realizamos assembléia e decidimos que não paralisaríamos as atividades sem antes lutarmos para a criação de um grande movimento pela Educação e sem debatermos a gravidade dessa situação com todos os interessados.  Porém, não descartamos esta possibilidade, pois temos em nossa cidade uma administração que governa de costas para o futuro de nossas crianças.

MOVIMENTO “SANTOS MERECE OUTRA EDUCAÇÃO!”

SINDSERV – SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTOS

SAIBA MAIS:http://educacaosantos.blogspot.com/

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.