A quem interessa que a saúde pública entre em colapso? Essa foi a indagação do SINDSERV na Audiência Pública realizada no dia 19/08 sobre a recente infecção de bactérias no PS Central, que levou dois pacientes a óbito. O questionamento do sindicato teve como objetivo ir nas causas de todos os problemas na saúde municipal relatados por todos os participantes.
 
Em todo o Brasil, independente do partido político que está no governo, o mantra é o mesmo: SUCATEAR para PRIVATIZAR! E aqui em Santos não é diferente, a Prefeitura está prestes a concluir seus planos de entregar toda a gestão de diversos hospitais públicos para a iniciativa privada. Seguindo a cartilha que todos os governos que privatizam seguem, a administração municipal está SUCATEANDO toda a saúde da cidade PROPOSITALMENTE com o intuito de quebrar a resistência dos servidores (que atualmente trabalham no limite, em péssimas condições, com sérios riscos de saúde e falta de funcionários) e da população (que, conforme pesquisa do próprio PSDB, quer somente servidores nos hospitais públicos).
 
Esse caos no serviço de saúde de Santos foi denunciado do começo ao fim da Audiência Pública chamada pelo vereador Evaldo Stanislau. O vereador, que também é médico, denunciou o não cumprimento de inúmeros protocolos e procedimentos de segurança, fato esse que coloca em sério risco os funcionários e pacientes.
 
Já o representante do Conselho Municipal da Saúde, Silas da Silva, acusou a Secretaria da Saúde de simplesmente ignorar inúmeros documentos protocolados que relatam faltas de medicamentos, equipamentos quebrados e problemas estruturais.
 
Cláudia Costa, representante do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo, explanou que a entidade já entregou para a Secretaria de Saúde de Santos o resultado de fiscalizações que apontaram deficit de profissionais de enfermagem em diversas unidades, inclusive no PS Central.
 
Contra fatos não há argumentos
Ainda não está convencido de que o colapso na saúde é proposital, então vejamos:
  • Se não fosse, porque os governos não destinam a mesma quantidade de verba pública dada aos hospitais geridos pelas OSs para as unidades administradas diretamente?
    Você sabia que o dinheiro é bem menor pros hospitais públicos administrados diretamente do que para os hospitais gestados pelas OSs? Veja aqui;
  • Porque as unidades novinhas em folha, com equipamentos igualmente novos, são entregues somente para as OSs? Porque as unidades atuais, onde os servidores ralam pra manter a qualidade do serviço, recebem apenas reformas paliativas?  

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.