Documento do MP

Alguns servidores ficaram preocupados com imagens de um documento que circulou por WhatsApp e Facebook. Este documento é apenas uma recomendação de um promotor substituto do Ministério Público pedindo para o Juiz (que vai julgar o processo da greve) acatar os pedidos do prefeito.

NÃO HÁ DECISÃO DO JUIZ, A GREVE CONTINUA!

O SINDSERV apresentou sua defesa no mesmo dia em que o prefeito entrou com a Ação contra os servidores e já conversou com o Juiz do caso explicando a situação.

A GREVE CONTINUA!
TODOS À PRAÇA DAS BANDEIRAS, 20/03 (segunda-feira), 8h!

Essa é mais uma prova da falta de diálogo por parte do prefeito com a categoria.

Uma tentativa de voltar com a Ditadura

O governo tenta convencer a Justiça que a greve é abusiva, sob a falsa alegação de que o SINDSERV não preservou a equipe mínima nos serviços indispensáveis à população, conforme determina a Lei de Greve (Artigo 11 da Lei Federal 7783/89).

Com a mentira apresentada, o prefeito pede que o Juiz obrigue o retorno ao trabalho de 80% dos servidores e que seja determinando que o sindicato seja impedido de fazer manifestações nas ruas da cidade. Ou seja, Paulo Alexandre, quer a volta da DITADURA!

O prefeito ainda vai mais longe, pede que o Juiz dê multa diária de R$ 50 mil ao SINDSERV caso o mesmo não obedeça.

A defesa do SINDSERV explica que o sindicato está tomando “todas as medidas necessárias para a manutenção do funcionamento dos serviços essenciais conforme Edital de convocação de assembleia geral, ofício endereçado ao prefeito e comunicado aos usuários dos serviços públicos, nos exatos termos do artigo 11 da Lei de Greve.

Ou seja, a prestação dos serviços inadiáveis da comunidade, aquelas que podem colocar em perigo a sobrevivência, a saúde e a segurança estão sendo mantidas.

Antes de entrar em greve, o sindicato fez reuniões preparatórias exatamente para organizar as equipes que estão garantido que a população não sofra nenhum prejuízo com a greve.

DEPÓSITO DE CRIANÇAS

Outra tentativa surreal do governo é querer carimbar toda a Educação como serviço essencial, o que não encontra respaldo algum na Lei: “as crianças que estudam na unidades de educação não estão largadas a própria sorte e estão sob a responsabilidade de seus pais e responsáveis”, explica a defesa.

Alguém avisa o prefeito que escola não é depósito de criança, porque tá ficando feio.

A GREVE CONTINUA!
TODOS À PRAÇA DAS BANDEIRAS, 20/03 (segunda-feira), 8h!

História de Quadrinho

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.