O som dos tambores ecoou forte na Praça Mauá. Ao ritmo do maracatu os servidores mostraram sua vibração e o desejo de conquistar a valorização que merecem na abertura da Capanha Salarial Unificada, realizada na tarde desta segunda-feira.

Juntos, trabalhadores e aposentados renovaram a disposição para lutar pela recuperação de pelo menos parte das perdas salariais que já ultrapassam os 91% nos últimos 10 anos. O próximo passo para ir adiante é comparecer nas assembléias que estão por vir.

A pauta de reivindicações já foi protocolada na Prefeitura e o Sindserv aguarda o agendamento da primeira reunião com o Governo. Aliás, este ano vamos conseguir ,pela primeira vez, mudar a correlação de forças na mesa de negociações. Desta vez,serão dois sindicatos confrontando os interesses do prefeito Papa. O  Sindest, sem o ex-presidente Mota, finalmente se juntou ao Sindserv no lado certa da luta: o lado dos trabalhadores. Isso aconteceu graças à junta administrativa que está à frente da entidade desde que a antiga diretoria foi afastada por ordem judicial.

Estamos mais unidos. Estamos mais fortes. Vamos para a luta!

O QUE QUEREMOS:

– Aumento de 28% (mesmo que foi concedido para o prefeito e secretários)

 Cesta básica de R$ 196,00 para todos os níveis da ativa e aposentados.

– Vale refeição de R$ 330,00 para todos os níveis da ativa e aposentados.

– Pagamento do PAV.

– Fim da Lei 650, frentes de trabalho e dos pagamentos de cachê.

– Concurso público.

– Fora Mota e E&E, com eleições diretas na Capep Saúde.

A pauta de reivindicações será entregue ao prefeito Papa,

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.