Em uma assembleia com ampla participação da categoria (cerca de 550 pessoas), os servidores decidiram, por unanimidade, rejeitar a proposta do governo de 8% de abono.

Além disso, a pauta de reivindicações elaborada por assembleia anterior, realizada em janeiro, foi mantida.

Outra deliberação é a realização de um grande ato às 9 horas deste sábado, em frente ao Mendes Convention Center, local onde está sendo realizado o Congresso dos Municípios.

Assembleia

Na quarta-feira próxima (10/04), será realizada uma nova assembleia, às 19 horas, em local a ser definido. O objetivo é reavaliar como caminhou a negociação dos sindicatos com o governo e deliberar os próximos passos do movimento.

Ato

Para o dia 10 outra atividade aprovada na assembléia será realizada. Nesta data o Governo de Paulo Alexandre Barbosa completa 100 dias. A plenária decidiu que um informativo voltado à população será elaborado e amplamente distribuído na Cidade. O conteúdo denunciará todos os problemas deste governo que não são mostrados no D.O.

Porque rejeitamos a proposta do Governo

– Abono não incide em 13º, férias, contribuição previdenciária e contribuição à Capep;

– O governo fala que o abono será incorporado a partir de dezembro. Não há garantias de que esse compromisso será assumido. Em dezembro o Governo certamente dirá que não há dinheiro para incorporar por conta do impacto da concessão do benefício em abril;

– ‘A partir’ é um termo muito vago e pode significar, inclusive, que a incorporação pode ser feita em qualquer tempo após o atual exercício;
– O abono não é extensivo aos contratados. O sindicato entende que essa divisão da categoria é penosa e visa apenas dividir os trabalhadores;

– Ao contrário do que diz o Governo, com sua habilidade de manipular a forma como os números do Orçamento são apresentadoS, há receita suficiente para conceder reajuste incorporado ao salário agora;

– Ao anunciar um pacote de medidas de contenção de gastos à imprensa, alegando ser uma compensação ao impacto do tal abono no Orçamento, o Governo quer jogar a responsabilidade pela má gerência financeira da Prefeitura nas costas do servidor. Essa culpa não é dos trabalhadores! Tanto é assim que as medidas anunciadas agora como novidade já vem sendo implantadas desde janeiro.

Retomada das negociações
O sindicato vai oficiar hoje a Administração sobre a decisão soberana da assembleia e vai solicitar a retomada imediata das rodadas de negociações.

Organização e luta

A mobilização e organização dos servidores que culminaram na ampla adesão à paralisação do dia 26 precisam continuar. A luta está em pleno andamento e o desfecho só será positivo para a categoria se a unidade e a organização continuarem fortes.

TODOS NO ATO DE SÁBADO

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.