Os trabalhadores do primeiro turno da General Motors de São José dos Campos (SP) decidiram encerrar a greve iniciada na sexta-feira. Eles aceitaram a proposta de reajuste salarial de 8,3% (sendo 3,7% de aumento real) e abono de R$ 1.950.

Segundo o sindicato, a aprovação foi unânime entre os cerca de 2.000 trabalhadores presentes.
Na tarde desta segunda-feira será realizada uma assembleia unificada entre os funcionários do primeiro e segundo turnos, para definir se toda a fábrica volta ao trabalho.

A GM fez a mesma proposta para os empregados de sua fábrica de São Caetano do Sul (Grande São Paulo), segundo o sindicato local. Eles também votam nesta tarde se aceitam ou não a proposição.

O sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, filiado à Conlutas, diz que o acordo supera os índices fechados pelo Sinfavea (Sindicato dos Fabricantes de Veículos Automotores) com os Sindicatos dos Metalúrgicos do ABC e de Taubaté, ligados à CUT, que ficou em 6,53% e abono de R$ 1.500.

O reajuste de 8,3% proposto na audiência do TRT contempla salários de até R$ 7.000. Acima desse valor, haverá um reajuste fixo de R$ 581. Também ficou definido o pagamento de 50% dos dias parados. O acordo também beneficiará os metalúrgicos de São Caetano do Sul (SP).

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.