Charge do pato da FIES queimando uma carteira de trabalho

Os servidores municipais de Santos, reunidos em assembleia no dia 22/06, resolveram aderir à nova paralisação nacional que será realizada no dia 30 de junho (sexta-feira) contra a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência e a nova lei de terceirização.

Entenda o que querem os patrões e seus governantes com as reformas:

Reforma Trabalhista

Eles dizem que querem “modernizar” a CLT “às necessidades e desafios dos tempos atuais”. Pura mentira! De que adianta ter direitos na Lei se a própria Lei permitir que eles sejam driblados por “acordos” entre partes com poder tão desigual?

A negociação direta entre patrões e trabalhadores era o que imperava antes da CLT. Ou seja, este sim é um modelo bem velho, vigente na República Velha, época de conflitos trabalhistas constantes, de acordos assinados e ignorados por patrões motivando reiteradas batalhas e greves.

Não se trata de modernizar, mas de – pura e simplesmente – recuperar as altas taxas de lucro derrubadas pela crise.

Charge do Laerte

Mesmo os estatutários terão enormes prejuízos com esse ataque à CLT. Primeiro que há inúmeros casos em que a legislação é omissa em relação aos servidores públicos, fazendo com que os juízes tomem decisões se baseando na CLT.

Segundo que o funcionário público não está em uma ilha isolada. É óbvio que a destruição da CLT será seguida de inúmeras investidas contra os nossos direitos, com a desculpa que seriam “privilégios”, já que fora do serviço público será terra arrasada.

Reforma da Previdência

O mantra de que a Previdência está em déficit já foi desmascarado por diversos economistas. Porém, se houvesse realmente um rombo nos cofres que pagam as aposentadorias, porque querem passar a conta para os trabalhadores (de novo)?!?

REFORMA da PREVIDÊNCIA Charge

Você sabia que, segundo os dados do próprio governo, as empresas devem 426 bilhões de reais ao INSS? Esse montante equivale a três vezes o que é alegado como déficit da Previdência em 2016.

Os próprios senadores e deputados que estão discutindo essa reforma são devedores também. Segundo a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, as empresas deles devem juntas à Previdência R$ 372 milhões.

JUNTE-SE NESSA LUTA, O SEU FUTURO E DE SEUS FILHOS DEPENDE DISSO!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.