O amplo auditório do Sindaport ficou pequeno pra quantidade de servidores municipais de Santos que foram à assembleia nessa sexta-feira (14/02) decidir os rumos da Campanha Salarial 2014. Diferente da tentativa de golpe dada na semana anterior (onde foi armada uma assembleia cheia de prestadores de serviço – chequinhos -, chefias e cargos de confiança), as centenas de servidores presentes comprovaram que eram funcionários públicos já no credenciamento de entrada.

A esmagadora maioria REJEITOU por completo a nova proposta da Prefeitura. Aprovaram, por unanimidade, o imediato ESTADO DE GREVE. E, caso a Prefeitura não encaminhe nenhuma nova proposta até quarta-feira (19/02), à partir de quinta a categoria já realizará PARALISAÇÕES.

O jogo sujo promovido pela Prefeitura que usou o Diário Oficial e o Sindest, na tentativa de encerrar a Campanha Salarial na marra, permeou quase todas as falas. Além de Nota de Repúdio (que será publicizada), influenciou as decisões dos servidores que ficaram indignados com o desrespeito ao direito de organização sindical autônoma dos trabalhadores. Mas o que mais motivou os funcionários públicos a dar continuidade na luta foi a própria proposta da Prefeitura de reajuste. O índice, apresentado como sendo hiper vantajoso, foi analisado minuciosamente durante as falas, ficando evidente que esse percentual não é suficiente.

Passado
Não é suficiente porque tivemos inúmeras perdas salariais no passado. Os 7,5% só conseguiriam cobrir a perda que tivemos para a inflação nos últimos 12 meses, mais a perda para o abono ao invés de salário que tivemos em 2013. Faça você mesmo a conta de quanto foi a sua perda não tendo reajuste por 9 meses nas Horas Extras, nos adicionais por tempo de serviço – Qüinqüênios -, na Referência Funcional, entre outros.

Portanto, na prática voltamos à estaca zero, voltamos pro começo de 2013. Esse "reajuste" não dá nem um aceno dizendo que um dia recuperaremos nosso poder de compra. "Poder" esse que ficou pela metade com anos sem reposição nem mesmo da inflação.

Futuro
Também não é suficiente porque a Receita de Santos em 2014 vai aumentar 26%, batendo todos os recordes. E, segundo os cálculos do próprio Governo, o reajuste de 7,5% nos salários irá acarretar um aumento de cerca de 64 milhões de reais de gastos com pessoal.

Ou seja, esse aumento poderia ser dado mesmo se a previsão de aumento na arrecadação de dinheiro para a Prefeitura nesse ano fosse de "quase-nada-porcento", pois SOBROU perto de 54 milhões de reais entre o que foi gasto com os funcionários e o Limite estabelecido pela famigerada Lei de Responsabilidade Fiscal.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.