09/04 (quinta-feira), 19h, no auditório do Sindaport (R. Júlio Conceição, 91 – Vila Mathias)
 
PAUTAS:
APOSENTADORIAS DE TODOS EM RISCO
CONTINUIDADE DA CAPEP EM RISCO
PERDA DE LOCAIS DE TRABALHO
DEVOLUÇÃO DO IMPOSTO SINDICAL
                            
VOCÊ PERDERÁ SEU POSTO DE TRABALHO E DEPOIS FICARÁ SEM SUA APOSENTADORIA
As futuras aposentadorias, a continuidade do atendimento pela CAPEP e os nossos locais de trabalho estão em risco. Colegas da ativa e aposentados serão duramente prejudicados. Temos afirmado isso insistentemente através dos nossos documentos e das nossas falas, tanto para alertar os servidores, quanto para denunciar o desmonte que governo municipal de plantão fará nos serviços e na vida dos funcionários públicos.
 
O prefeito e seus assessores negam que as terceirizações por Organizações Sociais, especialmente na saúde e na educação, irão detonar a vida dos servidores. Negam, mas não conseguem desmentir nossas afirmações. Para nos desmentir teriam que apresentar ESTUDO ATUARIAL demonstrando que o IPREV (aposentadoria) e a CAPEP (saúde) sobreviverão mesmo com a redução das contribuições para esses órgãos, provocada pela estagnação na contratação de novos servidores. 
 
Se limitam a dizer que continuarão contratando, mas não explicam que essas contratações serão em números infinitamente menores que o rombo provocado pela terceirização das grandes unidades. Conclusão: Menos servidores pagando IPREV e CAPEP igual a falência das duas autarquias.
 
Na saúde o prefeito de plantão pretende entregar os Pronto Socorros, Hospitais, Programa de Saúde Mental e Tratamento para Dependentes Químicos, iniciando pelo PS Central. 
 
Na educação os “voluntários” do Projeto Escola Total (que vai ser gerido por OS) já assumem diversos postos de trabalho de funcionário público como: Auxiliares de classe, professor substituto e inspetor de alunos. Com a OS gerindo o Escola Total a terceirização avançará ainda mais e professores irão perdendo salas de aula e as condições para questionar qualquer outra medida que vier causar prejuízos. 
 
Só para ter uma ideia da gravidade dessa situação, somente a terceirização dos hospitais e Pronto Socorros já afetará a aposentadoria dos servidores de todas as demais secretarias da PMS. Quanto mais servidores aposentarem, e menos servidores entrarem em substituição, maior será o déficit nos recursos do IPREV e da CAPEP. Não precisa pensar muito para deduzir o que será o futuro.
 
É URGENTE que todos os funcionários públicos de Santos se mobilizem para lutar contra a entrega dos serviços públicos para a iniciativa privada. É isso ou o sofrimento e o desamparo.
 
 
PELEGOS, QUEREMOS NOSSO DINHEIRO DE VOLTA!
O “sindicato-amigo-do-patrão” (localizado na Rua Monsenhor de Paula Rodrigues) entrou com ação na Justiça para que a Prefeitura desconte um dia de trabalho de TODOS os estatutários da Prefeitura de Santos. Ou seja, receberão todo ano de todos os estatutários filiados ou não aos sindicatos.
 
Diferente do que faz o SINDSERV todos os anos, eles já declararam que não irão devolver esse dinheiro (apenas um desconto para quem possui dois registros). Em seu boletim, eles dizem que “até compreende a insatisfação que tomará conta de parte do funcionalismo”, mas devolver dinheiro nada!
 
O pior é que a decisão judicial não é apenas para 2015, ela vale para todos os próximos anos.
A pergunta agora é: 
 
Vamos exigir nosso dinheiro de volta?!? Esse “sindicalismo-sem-vergonha” vai se criar à custa do nosso suor!
 
Pra cima deles!
Quem acompanhou as duas últimas campanhas salariais sabe o quanto é nocivo ter esse braço do prefeito dentro da categoria. Usam da representação formal para darem golpes e botar a mão no dinheiro dos servidores. Compareça na assembleia e fortaleça a luta pela devolução.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.