Nesta segunda, dia 28, às 17 horas, as assistentes sociais que atuam na Prefeitura de Santos, junto com  dirigentes do Sindicato do Servidores Públicos Municipais (SINDSERV), farão um ato contra a discriminação desta parcela da categoria. O ato será em frente ao gabinete do Prefeito, no Paço Municipal.
 
Desde o ano passado as assistentes sociais cobram da PMS a adequação à Lei Federal 12.317, de setembro de 2010, que prevê redução de jornada semanal das assistentes sociais para 30 horas, sem redução de salário.
 
Agora, para espanto das servidoras, o prefeito João Paulo Tavares Papa está propondo criar um novo nível salarial (N-P) para o qual vão ascender todos os servidores com nivel universitário, com exceção das assistentes sociais.  Assim, os terapeutas ocupacionais e os fisioterapeutas migrarão do N-O para o N-P, com aumento de 5% no salário, mas as assistentes sociais ficariam isoladas e estacionadas no N-O.
 
A postura gerou indignação porque significa o mesmo que criar duas categorias dentro de um mesmo segmento da Prefeitura, que é o de servidores com nível universitário. Uma parte seria beneficiada e a outra não.

E é para demonstrar a insatisfação contra essa proposta do prefeito, apresentada à categoria  como um dos  pontos da campanha salarial, que as assistentes sociais vão protestar no Paço.

Se você é assistente social não se omita! Compareça no ato e lute por seu futuro! 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.