ASSEMBLEIA dos trabalhadores da Educação. Pela construção de um dia de luta pela Saúde, pela Vida e pela Educação Municipal em Santos! 17/02 (quarta-feira), 19h, sindservsantos.org.br/assembleia

Na próxima quarta-feira dia 17/02, às 19h, nos reuniremos em assembleia para tratar das principais pautas de reivindicação dos trabalhadores da educação.

Não é de hoje que denunciamos a deterioração das condições de trabalho nas escolas municipais, o quadro incompleto de funcionários, professores e equipes, o sucateamento da infra-estrutura e a redução intencional do quadro de trabalhadores com o objetivo de terceirizar as cozinhas e a educação especial.

Já realizamos diversas idas ao Paço, à Seduc e muitas manifestações, mas até agora as principais reivindicações não foram atendidas e os projetos de terceirização continuam na ordem do dia.

Para piorar a situação, os trabalhadores da educação estão sendo obrigados a ministrar aulas presenciais em pleno pico das contaminações e mortes, sendo Santos a cidade com o maior índice de mortalidade por Covid-19 do estado de São Paulo.

Sendo assim, convocamos a categoria para construir conosco um dia de luta, com indicativo de greve, onde pretendemos mais uma vez em praça pública denunciar e cobrar da prefeitura de Santos o respeito que a categoria merece.

Não podemos assistir o sucateamento e a terceirização como se fossem naturais e nem esperar mais contaminações e mortes para tomarmos atitudes, a hora é agora. Compareça e se apresente para a luta, pois a omissão poderá custar vidas!

Santos Merece Outra Educação!

Nossas pautas para a assembleia e para a luta:

  • Luta contra o retorno das aulas presenciais sem a imunização vacinal;
  • Vacinação para todos os servidores que atuam presencialmente;
  • Imediato preenchimento de todos os cargos vagos da carreira do magistério a partir das listas vigentes dos concursos de promoção para Equipes Técnicas;
  • Imediata convocação de todos os Professores Adjuntos I e II das listas vigentes;
  • Imediata abertura de concurso de promoção de PADs I e II para PEBs I e PEBs II;
  • Imediato preenchimento de todos os cargos vagos de secretários de unidade escolar, inspetores de alunos e oficiais administrativos a partir das listas vigentes do concurso;
  • Revogação do edital que pretende terceirizar a educação especial, para que os postos de trabalho sejam completados com profissionais da carreira do magistério concursado;
  • Luta contra a terceirização dos serviços nas cozinhas escolares, criação de cargos de cozinheiros e realização de concurso público.