Para resistir ao processo de sucateamento da Capep e exigir uma solução para a fuga de médicos e hospitais da Capep Saúde, os servidores farão um ato na próxima sexta-feira, dia 28, às 17 horas, em frente ao gabinete do Prefeito.

Em algumas especialidades como psiquiatria e endocrinologia os únicos profissionais que ainda faziam parte do convênio saíram, cansados de receber com mais de três meses de atraso.

Em setembro, os hospitais São José, em São Vicente, e Santo Amaro, em Guarujá, fecharam as portas para os servidores municipais de Santos em razão do calote da Direção da Capep no pagamento de procedimentos realizados.

Enquanto isso, a autarquia segue sendo gerenciada por uma empresa terceirizada a um contrato milhionário de R$ 4,8 milhões pagos com o dinheiro so servidor e do contribuinte.

Se nada for feito, o próximo passo será a a implantação de um plano de saúde à parte, cobrado conforme a faixa etária e por dependente. Será a ruína dos trabalhadores que não têm condições de arcar com assistência de alto custo.

Não podemos deixar isso acontecer! Para discutir estratégias de mobilização e de resistência, estaremos no dia 28 de novembro no gabinete do prefeito para cobrar explicações e exigir que nossas reivindicações sejam atendidas. Participe!

AÇÃO

O Sindserv entrou com uma ação popular para que o judiciário anule o contrato de terceirização da Capep por ser lesivo ao patrimônio público.

Além da luta jurídica, o trabalho de mobilização política é importante para reivindicar o fim do jetom de R$ 171,00 pago aos conselheiros por cada participação em reunião;
 eleição direta do superintendente e conselheiros; a não-taxação dos dependentes; auditoria nas contas da entidade e que a Prefeitura pague toda a dívida que tem com a Capep.

veja abaixo a íntegra da ação:

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.