Ato dentro do IPREV

Servidores aposentados e da ativa participaram, na manhã desta quinta-feira (20), de um ato contra o CALOTE que o atual governo está aplicando no IPREV (caixa que paga as aposentadorias dos servidores municipais de Santos).

Desde junho a Prefeitura de Santos não repassa a parte patronal mensal que deve ao Instituto de Previdência e também não salda as prestações de outra divida com o Instituto (dívida gerada pelo governo Beto Mansur, na época da Capep).

Até o momento, o valor aproximado deste calote do Governo é de mais de 10 MILHÕES DE REAIS. Caso continue neste ritmo, até dezembro deste ano este rombo alcançará valores mais absurdos ainda.

Enquanto lesa os trabalhadores, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB):

  • mantém cargos de confiança para pagar dívidas partidárias com dinheiro da população.
  • gasta uma montanha de dinheiro com pagamentos dos chamados chequinhos para manter seu curral eleitoral
  • aluga imóveis que ficam fechados
  • gasta uma fortuna com frota de carros para manter mordomias de chefias com altos salários
  • mantém cabides de empregos nas autarquias (Prodesan, CET e Cohab)
  • incha a folha de pagamento com secretarias e cargos de confiança inúteis para a Cidade
  • gasta rios de dinheiro com publicidade para iludir a população e esconder o sucateamento dos serviços públicos

Para tudo isso não falta dinheiro. Mas falta dinheiro para fazer os repasses ao IPREV, exigidos por lei. Esta dívida pode virar uma bola de neve que culminará na falta de recursos para pagar as futuras aposentadorias e impactará no orçamento municipal. Quem pagará essa fatura serão os servidores e os munícipes!

Para protestar contra essa ameaça de desequilíbrio financeiro no sistema que paga as aposentadorias, os aposentados e trabalhadores da ativa entraram na sede do IPREV e exigiram a presença do presidente do Instituto, Jorge Manuel Ferreira. Ele não estava presente e por telefone alegou que participava de um evento em São Paulo.

Os manifestantes então exigiram o agendamento de uma data para ouvirem pessoalmente do presidente o que está sendo feito para resolver o problema. A reunião, marcada pelo próprio Jorge Manuel, será na próxima quinta-feira, dia 27, às 10h, na sede do IPREV, localizado na Prodesan (entrada pela Rua Assis Corrêa), no Gonzaga.

Nosso dever é transformar esta reunião em mais um ato para continuar pressionando o Governo e informando à população. É fundamental a presença de todos!

Outros ataques
É importante lembrar que o atual Calote não é o primeiro ataque ao futuro das aposentadorias dos servidores. No apagar das luzes de 2015, o governo Paulo Alexandre já golpeou a categoria retirando cerca de 20 milhões anuais ao reduzir o repasse da dívida com o IPREV de 6% para 2%. A maioria dos vereadores, como sempre, acatou passivamente e aprovou a Lei (Lei 914/2015).

Ato no IPREV

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.