A avaliação de desempenho, prevista no PCCV (Plano de Cargos Carreiras e vencimentos), terá início no próximo mês. A avaliação é o mecanismo pelo qual os servidores poderão evoluir na carreira, enquadrando-se em um nível salarial superior.

Apesar da reivindicação da análise das chefias por seus subordinados não ter sido atendida, a atual avaliação de desempenho é uma importante vitória da categoria, que conseguiu rechaçar a proposta governista e garantir critérios mais objetivos no sistema. Sendo assim, a ficha funcional passou a ter o maior peso na pontuação (60 pontos).

Outro ponto positivo é que, além da chefia, o próprio trabalhador terá a oportunidade de dar nota ao seu desempenho no ano. A média da soma da auto avaliação e da avaliação por parte da chefia imediata pode chegar a 40 pontos. Essa média é conferida por indicadores inscritos em um formulário, a ser preenchido pelo próprio trabalhador e pela chefia imediata. Os aspectos em análise são:

I – comprometimento com o trabalho;
II – dedicação no cumprimento das atribuições do cargo;
III – relacionamento interpessoal;
Iv – atendimento ao público;
v – capacidade de propor soluções e interesse na resolução de problemas.

Cada indicador pode receber até 8 pontos, conforme os conceitos: a) abaixo do esperado:
1 a 2 pontos; b) parcialmente esperado: 3 a 4 pontos; c) dentro do esperado: 5 a 6 pontos;
d) acima do esperado: 7 a 8 pontos. Em relação à avaliação da ficha funcional, a pontuação
começa com 60 pontos, que podem ir diminuindo conforme os seguintes critérios: a) dedução
de 3 pontos para cada falta não abonada; b) dedução 1 ponto para cada 10 atrasos; c) menos
5 pontos para cada repreensão.

Neste caso, quem preenche o formulário é o departamento de
gestão de Pessoas.

A pontuação máxima, levando-se em conta a auto avaliação, a
avaliação do servidor por sua chefia e a ficha funcional, é 100. E o trabalhador precisa atingir
70 para ser reenquadrado.

Conforme prevê a lei 2.886, de 22/12/2012, os formulários serão distribuídos ainda neste mês nos locais de trabalho. É importante que todos preencham corretamente e, em caso de dúvidas, procurem o Sindserv. Com o formulário em mãos, cada trabalhador tem até cinco dias para preenchê-lo.

Após a avaliação da chefia, o servidor deve ser chamado a tomar ciência e a assinar a ficha. Na hipótese de não concordar com a pontuação final, deverá registrar sua discordância no formulário, podendo interpor recurso, nos termos do artigo 20 da lei Complementar nº 758, de 30 de março de 2012. O recurso deverá ser protocolado no Poupa-Tempo.

Não podemos esquecer que a avaliação de desempenho só está sendo implementada este ano porque a categoria se mobilizou exigindo que o projeto de lei sobre o assunto fosse pautado na Câmara no final de 2012.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.