Mesmo com toda pressão de servidores da Saúde (exceto os médicos), a Câmara de Santos aprovou ontem o Projeto de Lei Complementar
13/2008, de autoria do Executivo, que concede gratificação de R$ 720,00 aos médicos da rede municipal de Saúde que cumprem 20 horas de jornada semanal.


Foram 10 votos a favor, 4 contra e 1 abstenção. O PLC 13/2008 teve emendas que serão discutidas na próxima sessão, marcada para a próxima terça-feira, no plenário Ulysses Guimarães.


Durante os debates entre situação e oposição sobre os prós e contras
da gratificação, os ânimos nas galerias se exaltaram, já que os demais
servidores da Saúde, principalmente os dentistas, estavam inconformados com o projeto que concede gratificação apenas aos médicos.


Segundo o o presidente do Sindicato dos Odontólogos, Mário Roberto Leite Augusto, a categoria continuará lutando pelo mesmo benefício. “Temos os mesmos direitos que os médicos e já estamos mobilizados”.


A direção do Sindserv confirmou que irá pressionar a Prefeitura a es­
tender os mesmos benefícios a todos os servidores da Saúde.


Já Octacílio Sant’Anna, presidente do Sindicato dos Médicos, comemorou.
“Todo aumento é bem-vindo, mas é preciso investir mais na Saúde,
principalmente na contratação de mais médicos”.


A Câmara aprovou também os outros dois projetos de lei complementares que beneficiam os profissionais da Saúde. O
14/2008, que prevê a gratificação mensal aos chefes de seção, enfermagem e administrativos dos hospitais e prontos-socorros. Segundo o projeto, as gratificações irão de R$ 650,00 a R$ 2 mil.
O outro projeto de lei aprovado (15/2008), cria a gratificação espe­
cífica aos servidores que prestam serviços em regime de plantão nas unidades de saúde, cujos valores são divididos pelos diferentes níveis salariais. Para os médicos e dentistas, a gratificação oferecida é de R$ 106,00.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.