Saíram ontem os demonstrativos financeiros da Prefeitura no ano de 2012. As despesas com pessoal ficaram em 47,13%. Portanto, muito aquém do imposto pela famigerada Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 51% (limite prudencial) e 54% o (limite máximo).

Portanto, o discurso de que não há dinheiro não é verdade. Outro dado importante que pode-se ler pelos relatórios é o seguinte:

– em janeiro de 2012 as despesas com pessoal ficaram em R$ 34.481.678,62
– em novembro de 2012 as despesas com pessoal ficaram em R$ 41.892.369,46

Não colocamos dezembro porque é um mês atípico por causa do décimo terceiro.

Se pegarmos os 5 primeiros meses do ano de 2012, isto é, sem o novo PCCV,os gastos com pessoal ficaram assim (em R$):

janeiro: 34.481.678,62

fevereiro: 33.851.978,03

março: 36.268.970,20

abril: 38.011.114,63

maio:36.420.384,24

Total nos 5 primeiros meses: 179.034.125,72

A partir de junho ficou assim:

junho: 51.622.402,30

julho: 40.862.026,82

Agosto: 41.517.183,51

setembro:42.356.918,88

outubro: 42.929.517,01

novembro: 41.892.369,46

Total de junho a novembro: 261.180.417,98

A média das despesas com pessoal nos 5 primeiros meses de 2012 ficou em:

35.806.825,14

A média das despesas com pessoal de junho a novembro ficou em:

43.530.069,66

O impacto maior em junho se explica, por exemplo, pelo pagamento de horas extras que tiveram a base de cálculo alterada a partir daquele mês. Mas, na sequência, pode-se observar que houve uma estabilização das despesas com pessoal, quando começou a ser proibidas as horas extras.

A Receita Líquida da Prefeitura em 2012 foi de:

1.512.981.764,72

As despesas com Pessoal ficaram em:

712.884.290,61

Poderia se chegar até:

No limite prudencial (51%): 776.159.645,30

No limite máximo: (54%): 817.010.152,94

Portanto, as despesas com pessoal ficaram aquém, da seguinte forma:

Prudencial, poderia se gastar com pessoal: + 62.977.294,86

Máximo: +103.827.802,50

SERVIDORES, O QUE OS NÚMEROS DEMONSTRAM É QUE O IMPACTO DO PCCV NÃO FOI GIGANTESCO COMO SE OUVE NA PREFEITURA. PORTANTO, VAMOS RELEMBRAR AS NOSSAS REIVINDICAÇÕES:

a categoria decidiu lutar por um aumento de 16,2% este ano. O índice corresponde a 6,2% de reposição da inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) mais 10% como compensação de parte das perdas salariais passadas.

A pauta de reivindicações definida pela maioria compreende ainda:

* Aumento da cesta básica para R$ 306,34, extensiva a todos os trabalhadores até o nível N- P e para todos os aposentados;

* Auxílio-alimentação de R$ 440,00 (R$ 20,00 por dia);

* Contribuição da PMS de 1% da folha para a Capep Saúde;

* Nomeação imediata de todos os concursados;

* Abertura de uma mesa permanente de discussão sobre o PCCV.
Leia mais em :

https://www.egov1.santos.sp.gov.br/do/1316/2013/do30012013.pdf

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.