Em audiência Pública para apresentação dos Balanços Financeiros da CAPEP SAÚDE, os números da autarquia acabaram não sendo abertos para o SINDSERV e demais servidores presentes.

A justificativa do presidente da CAPEP, Eustázio Alves Pereira Filho, para a não disponibilização dos dados é de que ele não tem segurança suficiente para mostrar balanços que poderão estar sujeitos a incorreções praticadas na gestão passada da entidade.

Por causa disso, uma empresa de auditoria independente será contratada para fazer todo o levantamento da saúde financeira da CAPEP e demonstrar a real situação das contas. ‘Nos foi passado no período de transição do Governo que havia um superávit de 1,8 milhão, o que depois fomos constatar que não era verdade’.

Segundo Eustázio, os números dos balancetes passados deverão se alterar após a auditoria, aprovada pelo Conselho Administrativo da entidade.

O SINDSERV cobrou a realização de concurso público para a CAPEP ainda para este ano, até como forma de reforçar o quadro técnico da autarquia para que problemas de ordem contábil e administrativa como este não voltem a acontecer. Inicialmente previsto apenas para 2014, o presidente da autarquia disse que fará um esforço para que o processo de abertura do concurso ocorra ainda no segundo semestre deste ano.

Ele informou que existem 22 cargos para serem preenchidos. O último concurso público para a CAPEP ocorreu há 10 anos.

O SINDSERV também ponderou sobre a necessidade de maior clareza e transparência nas informações do site, principalmente em relação à rede credenciada de profissionais. Também pedimos uma ouvidoria com atendimento por telefone para atender melhor as reclamações e solicitações dos servidores em relação ao atendimento médico.

Segundo Eustázio, o site está sendo aperfeiçoado e já conta com relação de profissionais credenciados atualizada. Já a ouvidoria está em fase inicial de implantação e deverá ser agilizada nos próximos meses.

Outra dúvida respondida pelo presidente da CAPEP foi em relação aos 3 funcionários da autarquia que ganham super salários. ‘A Constituição não permite que servidores ganhem mais do que o prefeito. Por isso, iniciamos processo para cortar esses pagamentos. Um deles, já se aposentou com salário menor. Em relação aos outros dois, os casos estão em fase de análise para garantir a defesa de todas as partes’.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.