Depois de mais de 10 meses de trabalho, a comissão de servidores da saúde concluiu a proposta para o Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) específico para o setor.

Por intermédio do site do Sindserv e também por meio de visitas às unidades, o texto está sendo divulgado para a categoria. O objetivo é mobilizar os trabalhadores para pressionar o prefeito Papa a iniciar discussões com a categoria. Sabe-se que o Executivo tinha a intenção de contratar a assessoria da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para, a exemplo do que foi feito na Educação, criar um documento base específico desse segmento. Porém, decidiram recuar e incluir os trabalhadores da Saúde no PCCS geral.

Após o episódio que levou dezenas de servidores a exigirem explicações sobre a tentativa da SMS em implantar mudanças de plantões e, preocupados com um novo desgaste às vésperas de um ano eleitoral, vereadores da base aliada do Executivo chamaram as chefias de unidades para uma reunião no início da semana. Neste encontro foi afirmado que uma proposta de plano de carreiras já existe há cerca de seis anos, de autoria do vereador Marinaldo Mongon. O que não foi esclarecido é porque nesse tempo todo o projeto não foi apresentado nem para a Câmara e nem para a categoria. O que os legisladores não contavam é que estavam presentes na reunião representantes da comissão de servidores da Saúde.

A proposta realizada pela comissão foi baseada nas últimas alterações das legislações relativas ao assunto e por isso é a mais atualizada. Além disso, foi elaborada pelos próprios trabalhadores, principais interessados em garantir o cumprimento dos preceitos jurídicos que asseguram a valorização dos profissionais dessa área especializada e diferenciada.

Com a ajuda do sindicato, que está cedendo espaço no site e também espaço físico para realização de reuniões com os trabalhadores, a comissão pretende divulgar e discutir amplamente o teor do projeto com os cerca de 3.500 servidores que atuam na Saúde municipal.

Os interessados em conhecer na íntegra a proposta podem acessá-la na seção Biblioteca do site.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.