Atenção cozinheiras, cozinheiros, merendeiras e auxiliares de cozinha que atuam nas escolas municipais e as cedidas para as escolas estaduais! O próximo passo para ampliar a mobilização por criação de cargos, concurso público, melhoria das condições de trabalho e contra a terceirização do serviço na rede do Estado é nesta terça-feira (23), às 17h30, no Paço Municipal.

Juntas e juntos vamos mais uma vez cobrar do Governo respostas a todas essas reivindicações. Em junho rumores de que o governo estaria elaborando Edital a fim de contratar uma empresa terceirizada para os serviços nas cozinhas das escolas estaduais ganhou força. Um retrocesso enorme que impactaria não só as servidoras cedidas para o Estado como as que estão atuando nas UMEs.

O SINDSERV Santos questionou a Secretária de Educação e o Secretário de Gestão para esclarecer a questão e as respostas não convenceram.

Não confirmam e nem negaram a suposta terceirização. E pior: admitiram que o cargo de cozinheiro não consta na lista para o próximo concurso.

O Sindicato cobrou e oficialmente o Governo respondeu que há estudos apenas para contratações emergenciais. Nada de concurso para essa função!

Vale lembrar que as recorrentes contratações temporárias sem comprovação do caráter de excepcionalidade e como forma de evitar concursos têm sido reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP). Mais uma decisão neste sentido foi publicada no último dia 24. (veja aqui).

Com tantas interrogações e levando em conta que a prática deste governo tem sido sempre a de passar por cima dos direitos e interesses dos servidores, não dá para contar com a sorte. É preciso aumentar a mobilização e a pressão já!

A criação de mais cargos de cozinheiras e a realização de concurso para suprir o real déficit no setor é uma pauta antiga desse grupo de trabalhadoras.

O cenário ainda pode piorar se a perda de mais de 70 postos de trabalho, hoje ocupados em 22 escolas estaduais, se confirmar. Seria um primeiro passo para a terceirização do serviço também nas escolas municipais.

A terceirização destes postos de trabalho poderá interferir de forma negativa nas outras lutas da categoria. São elas: a reclassificação de nível, as 30 horas e a melhoria nas condições gerais de trabalho.

Só a luta muda a vida, lute! Compareça no ato do dia 23/7!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.