Cozinheiros, merendeiras e ajudantes de cozinha entregaram pauta de reivindicações na Prefeitura no final da tarde do dia 17/09. Os trabalhadores lutam contra as péssimas condições de trabalho, por melhores salários, e a diminuição da carga horária.

Em 2012, após 10 anos de reivindicação da categoria, a Prefeitura realizou concurso, que permanece em vigência, para o cargo de Cozinheiro e até hoje não conseguiu preencher os cargos vagos. Isso se dá porque, os baixos salários somados a insalubridade da função, às péssimas condições de trabalho e carga horária de 40 horas semanais, vem fazendo com que muitos profissionais classificados no concurso não ingressem na Prefeitura ou não permaneçam por muito tempo no cargo. Com menos funcionários do que é necessário para atender toda a demanda, o trabalho fica ainda mais intenso.

Por tudo isso, os servidores reivindicaram reunião com o Secretário de Gestão para que a administração municipal tome providências urgentes para o cumprimento da seguinte pauta:

  • Reclassificação de Nível dos Cozinheiros e Merendeiros do atual Nível D para o Nível F;
  • Reclassificação de Nível dos Ajudantes de Cozinha do atual nível B para o Nível D;
  • Redução da carga horária de trabalho das atuais 40 horas semanais para 30 horas semanais, sem redução dos salários;
  • Que o quadro de funcionários das cozinhas de toda a Prefeitura e das escolas estaduais seja completado e ampliado com Cozinheiros Estatutários, sem nenhum tipo de terceirização ou precarização do trabalho;
  • Que o chamado "quadro normal" (instituído pela administração) seja inicialmente ampliado em dois cozinheiros por unidade e que sejam estabelecidos critérios objetivos, com base no número de refeições servidas para a reorganização do mesmo;
  • Que imediatamente sejam implementadas medidas que qualifiquem as condições de trabalho de todos os profissionais, contemplando aspectos de segurança, ergonomia, vestuário, ventilação, iluminação e compra de utensílios com destaque para:
    -Ampliação do espaço físico das cozinhas;
    -Troca de fogões antigos, quebrados e obsoletos;
    -Troca dos liquidificadores e espremedores por equipamentos de melhor qualidade;
    -Sanar falta de frigideiras, talheres e demais utensílios;
    -Instalação de coifas em todas as unidades e o imediato conserto das que estão quebradas;
    -E troca do atual uniforme por outro de melhor qualidade, pois atualmente os sapatos são pesados e escorregadios, o avental de plástico é de péssima qualidade e as blusas, calças e tocas são feitas com tecido fino e com dimensões inadequadas.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.