Isso mesmo, o "sindicato-de-fachada" (localizado na Rua Monsenhor de Paula Rodrigues) entrou com ação na Justiça e agora terá direito a receber o Imposto Sindical de TODOS os estatutários da Prefeitura de Santos. Ou seja, receberão de todos os estatutários sócios do SINDSERV e dos estatutários que não são filiados a nenhum dos dois sindicatos.

Diferente do que faz o SINDSERV todos os anos, eles não vão querer devolver o teu dinheiro, já que NUNCA fizeram isso. Já até arrumaram argumentos para pegar o dinheiro do trabalhador mesmo sem o seu consentimento. Eles entraram na Justiça exatamente para embolsar essa grana.

Indo na contramão desse "sindicalismo-sem-vergonha", o SINDSERV já oficiou inúmeras vezes o pedido para que a Prefeitura não desconte dos salários dos servidores esse Imposto. Se o trabalhador quer contribuir com sua entidade sindical, essa contribuição tem que ser voluntária e não arrancada pelo patrão e repassada para o sindicato!

processo movido pelo "sindicato-cover" é contra a Prefeitura, por isso o SINDSERV não pôde entrar para defender os servidores. E a Prefeitura facilitou pro sindicato "patronal": Argumentou que não descontava e repassava o Imposto de todos os servidores pra eles porque havia outro sindicato, mas se "esqueceu" de anexar os documentos comprovando tal fato.

A Ação já passou por todas as instâncias e não cabe mais recurso. Ela é de 2005, podendo retroagir até 2000. Ou seja, além do desconto no mês de março em todos os próximos anos (até sua aposentadoria), a Prefeitura pode descontar de uma única vez, de todos os servidores, 15 dias de trabalho. Vai tudo pro bolso dos "sindicalistas". Fazendo uma conta estimada (levando em conta a média do que o SINDSERV devolveu no último ano), o valor que a Prefeitura vai depositar diretamente na conta dos pelegos será de aproximadamente 10 milhões de reais. De duas uma: Ou quem pagará o pato serão os servidores (se o governo resolver descontar os 15 dias) ou será toda a população, já que o dinheiro que será entregue sairá dos cofres públicos.

É por isso que eles nem se abalam com a quantidade cada vez maior de desfiliações. Eles representam o exemplo mais fiel de qual era o objetivo central do Imposto Sindical: Um sindicato vazio, sem lutas, sem mobilização, atrelado até o pescoço com o patrão, quase sem nenhum sócio e vivendo única e exclusivamente do Imposto Sindical retirado na marra dos bolsos dos trabalhadores.

Vale lembrar que a Ação é pura e exclusivamente referente ao Imposto Sindical. Nada tendo a ver com a representação oficial da categoria. Eles só querem o dinheiro mesmo. E a representação de fato dos servidores (estatutários e celetistas) todos já sabem que é do SINDSERV.

Muito faz quem não atrapalha
Se fosse "apenas" isso, não perderíamos tanto tempo com eles. Mas, além de não ajudar em nada nas mobilizações da categoria, eles atrapalham. Isso ficou cristalino nas duas últimas Campanhas Salariais, em que a Prefeitura os acionou para aprovar sua proposta em assembleias amplamente denunciadas como fraudulentas pelos poucos servidores presentes. Tais assembleias teriam sido infladas por chefias e os famosos "chequinhos". Além disso, barraram servidores não sócios, uma ilegalidade porque todo servidor pode ter livre acesso às assembleias de Campanha Salarial.

Por essas e outras, assumimos o compromisso de caminhar rumo ao almejado sindicato UNIFICADO dos servidores de Santos. Cumprimos nossa palavra empenhada durante campanha eleitoral e fizemos de tudo para que o sindicato UNIFICADO saísse do papel. A direção do Sindest também prometeu a unificação durante sua eleição, mas agora que está no poder mudou de ideia.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.