Charge com uma professora com o pé algemado em bolas de grilhões. Cada bola tem uma coisa escrita ("Terceirização da Educação Especial", "Falta de profs", "Inquérito adm.", "Reforma da Previdência" e "2 anos sem reajuste"). E alguém falando com ela: "Parabéns professores! Nós, do PSDB, adoramos vocês!".

Mais um dia dos professores e profissionais da Carreira do magistério se aproxima. No dia 15 de outubro não aceitaremos nenhuma suposta homenagem, lembrança ou qualquer menção deste governo e dos vereadores que nos atacam constantemente e agora querem aparecer para seus eleitores como se defendessem a educação.

Para não esquecermos, veja alguns dos ataques do governo PSDB (e seus vereadores-capachos) contra os educadores durante a pandemia:

  • Forçou por 3 vezes a reabertura precipitada das escolas, contribuindo para o aumento de mortes na região (inclusive de 4 professores, 1 diretor, 1 cozinheiro e 1 auxiliar de Educação Inclusiva) e centenas de contaminados;
  • Aumentou a idade mínima para a aposentadoria das professoras (de 50 para 57 anos) e professores (de 55 para 60 anos). Tirou as licenças médicas (que não sejam relacionadas a acidente de trabalho) da contagem para concessão de aposentadoria especial de professor e ou carreira do magistério;
  • Não chamou em número suficiente os professores que já passaram no concurso público, deixando faltar professor PROPOSITALMENTE para sucatear o ensino e depois oferecer soluções mágicas como projetos dobra, criar o caos e  assim no futuro fomentar as terceirizações de profissionais ou as escolas cívico-militares;
  • Novamente deixou para fazer o Concurso de Promoção dos Professores Adjuntos em  tempo hábil, acabando assim o prazo do concurso de ingresso para professores adjuntos I e II , ainda com uma lista de centenas de profissionais concursados aprovados;
  • Procrastinou a aprovação e ainda procrastina o ingresso de professores e profissionais da Equipe Técnica ao concurso de promoção para equipes técnicas ainda vigente (apesar dos inúmeros cargos vagos);
  • Terceirizou parte da Educação Especial para as Organizações Sociais (OSs) com a desculpa de que faltava professores. Falta provocada pelo próprio governo que, além de não chamar os concursados para ingresso, fez de tudo para impedir a participação dos professores da rede, e hoje não tem profissionais suficientes nas OSs para desempenhar junto as crianças/alunos/professor titular da sala, que tanto precisam desse trabalho especializado para  desenvolvimento e interação pedagógica e social;
  • Não concedeu nem mesmo a inflação em 2020 (ZERO%) e aceitou que Bolsonaro e Paulo Guedes colocassem a “granada no bolso” dos servidores em troca do auxílio-emergencial federal (Lei Complementar Federal Nº 173, de 27 de maio de 2020). Isso impediu o reajuste também em 2021 (ZERO% novamente);
  • Tentativa de intimidar abrindo inquérito administrativo contra 15 Profissionais da Carreira do Magistério por uma foto vazada de crianças no pátio da escola. A foto era para uma discussão interna de se elaborar uma entrada e saída de alunos possível sem aglomeração. Ao invés da Seduc se preocupar com os riscos às crianças e trabalhadores, se preocupa em punir os profissionais que também são vítimas do ambiente inseguro.

Foi isso que nós, professores e equipes técnicas, recebemos enquanto nos virávamos para manter as aulas remotas (que aumentou e muito nossa carga horária). Isso que recebemos em troca enquanto estamos pondo a vida em risco com salas superlotadas de crianças que ainda não têm idade para seguir todos os protocolos adequadamente.

Por isso, que não venha com  a hipocrisia habitual felicitar e se promover em cima da educação nesse dia, se você (governo, secretários e vereadores) nos ataca incessantemente durante todo o resto do ano.

Os profissionais do Magistério EXIGEM RESPEITO e não tapinha nas costas.

O SINDSERV Santos deseja aos professores e profissionais da Carreira do magistério boa saúde, camaradagem nas relações e disposição para as lutas da vida!

SÓ A LUTA COLETIVA MUDA A VIDA!