Foto da reunião dos servidores com o Secretário de Saúde

O Secretário de Gestão diz que o problema está na Secretaria de Saúde que não apresenta as demandas de falta de funcionários. Já o Secretário de Saúde diz que o problema está com a Secretaria de Gestão que não aprova as nomeações pedidas. Já o prefeito não atende o pedido da categoria por reunião. Enquanto isso, a população pena e os serviços são paralisados aos poucos por falta de funcionários e estrutura.

Após mais de 1 ano de reuniões com a coordenação da Saúde Mental e representantes das duas secretarias, os trabalhadores, usuários dos serviços e seus familiares cansaram da demora e resolveram ir até o Paço Municipal protestar. Foram no dia 28/06, protocolaram pedido de reunião com o prefeito e ouviram o Secretário de Gestão falar em alto e bom som que todas as demandas por mais funcionários que recebeu da Secretaria de Saúde foram autorizados.

SITUAÇÃO INSUSTENTÁVEL!

O CAPSi “Tô Ligado” parou de oferecer qualquer serviço nos bairros da área continental por falta de funcionários e estrutura. Pelo mesmo motivo, teve que restringir o acolhimento inicial. Por lá, falta tudo, Assistente Social, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional, Fonoaudiólogo… não tem nem como receber as pessoas porque não tem Recepcionista, nem Oficial Administrativo.

Em novembro do ano passado, já havia um déficit de 30 funcionários na unidade. De lá pra cá já tivemos mais 2 exonerações e 1 transferência para a coordenação. Nenhum desses foi reposto.

Por mais que a equipe se desdobre, o número de funcionários atual não é suficiente nem mesmo se fosse um CAPS 2 e lá é um CAPS 3. Os trabalhadores acabam adoecendo física e mentalmente por conta do trabalho, desfalcando mais ainda a equipe. Fora tudo isso, ainda temos afastamentos por férias, covid…

Diante da iminente paralisação total dos serviços, os servidores dessa unidade resolveram ir atrás do Secretário de Saúde cobrar uma resposta. No dia 11/07 foram fazer a reunião semanal de trabalho da unidade no prédio da Secretaria. Depois de um bom tempo na porta da Secretaria, conseguiram marcar uma reunião que aconteceu dia 20/07.

Acontece que nessa reunião o Secretário de Saúde disse o oposto do que foi dito na Praça Mauá: o problema estaria na Secretaria de Gestão que barrou inúmeros pedidos de nomeações de servidores concursados. Não só falou, como também mostrou todos os processos abertos, parados e/ou negados.

SÓ A LUTA FAZ VALER!

Após o ato no Paço Municipal e a ida na Secretaria de Saúde, o governo sentiu a pressão e resolveu se mexer. Criou uma comissão com membros de várias secretarias para resolver a questão. O grupo já teve duas reuniões e faria a terceira dia 29/07.

Porém, segundo o Secretário de Saúde, estão vendo “qual a melhor forma de contratação para repor o RH”. Preocupa os servidores que esse grupo tente impor como solução qualquer forma de contratação que não seja por concurso público. Para o Secretário, a forma de contrato não é com ele, a Secretaria de Gestão junto com o prefeito que decide.

PRECARIZA DE PROPÓSITO PARA TERCEIRIZAR!

A preocupação dos trabalhadores não é à toa! Foi assim que o governo Paulo Alexandre (também PSDB) terceirizou a UPA Central, a UPA da Zona Leste, a UPA da Zona Noroeste, as cozinhas das escolas e parte da Educação Especial.

Eles criam o problema de propósito para depois justificar a terceirização! Dos 32 pedidos de nomeações, 23 o governo não atendeu e o prazo do Edital do concurso venceu agora no começo de julho, 8 estão em um processo lentíssimo e apenas 1 tem previsão de nomeação. E mesmo sabendo da falta de Psicólogos na rede e que não há classificados do último concurso para chamar, esse cargo não estará no novo concurso.

Ou seja, não é uma fatalidade, um problema de burocracia, um desencontro de informação. É UM PROJETO POLÍTICO!