No dia 7 de setembro, o dia da Independência, é para o movimento sindical, movimentos sociais e populares mais um dia de luta. É o dia do Grito dos Excluídos. Esta é uma forma de protestar contra a falsa independência sob a qual vivemos. As minorias mais um dia sairão às ruas para reivindicar trabalho, educação, saúde, e a verdadeira independência.

Na maioria dos estados, as manifestações acontecem na própria segunda-feira. Os protestos denunciam o descaso da atual política do governo com o povo brasileiro, a ajuda do governo a bancos e empresas e o fator previdenciário. Exigirão ainda pela saída de Sarney: "Fora Sarney por uma Câmara Única"; além de levantar a bandeira de que o petróleo é nosso: "Petrobrás 100% estatal". O movimento sindical reivindicará também a redução da jornada sem redução salarial e exigirá do governo Lula que garanta a manutenção do emprego.

Vamos fazer valer nossas reivindicações:

Por melhor qualidade de vida para todos!

Todo o País em um mesmo grito!

Segue informe do que ocorrerá no dia 7 de setembro nas principais capitais:

São Paulo – Ato na Praça da Sé. Após a celebração da Romaria a Pé terá início às 10h com a saudação feita por um membro da coordenação do ato; em seguida ocorre a encenação e apresentação da Mística do Grito dos Excluídos. À partir das 10h30 haverá a caminhada até o Parque da Independência (Museu do Ipiranga). No Museu do Ipiranga (Parque da Independência). Lá haverá um ato público e shows musicais e panfletagem.

Brasília (DF) – Haverá uma manifestação na Esplanada dos Ministérios, organizada por movimentos populares. Enquanto acontece o desfile oficial, promovido pelo governo, o movimento vai às ruas denunciar o desemprego a falta de moradia e de saúde à população precária. O movimento vai questionar também "Que Independência é essa? Independência é o(s) governo(s) calar a voz do povo porque protesta contra o pagamento das dividas de bancos, grandes empresas, fazendeiros e construtoras? Independência com dívidas que eles contraíram e no final quem paga são os cofres públicos?"

O ato será no espaço entre a Esplanada dos Ministérios e a Rodoviária do Plano Piloto nesta segunda-feira (7), à partir das 8h, com o Julgamento Popular do do governador do Distrito Federal José Roberto Arruda.

Rio de Janeiro (RJ) – O Rio de Janeiro se prepara para O Grito dos Excluídos com diversas atividades será às 9h na Avenida Presidente Vargas com concentração na esquina da Rua Uruguaiana. Neste sábado, às 9h, terá panfletagem no calçadão de Campo Grande e na Ocupação Raposa do Sol, em Santa Cruz (em frente ao Supermercado Extra). Ao 12h30 terá "feijoada na Portela". No domingo às 9h e 13h, haverá panfletagem nos Pré-Vestibulares na Maré. No domingo será apresentado o filme: O Petróleo Tem Que Ser Nosso – A Última Fronteira. Às 15h terá ensaio do Bloco da Oposições, na Central no Brasil.

Belo Horizonte (MG) – O 15º Grito dos Excluídos em Belo Horizonte tem como objetivo denunciar todas as formas de injustiças e de corrupção presentes na sociedade e anunciar os sinais de esperanças e de transformação através da unidade da organização popular. Terá sua concentração às 9h, na Praça da Assembléia Legislativa de Minas Gerais e término na Praça Sete-Centro.

Aracaju (SE) – O Grito terá concentração às 10h, na Catedral. Depois  haverá  a caminhada pela avenida onde acontece o desfile oficial. O ato será organizado pelo CNBB/Cáritas, Pastorais Sociais, CONLUTAS e suas entidades filiadas, CUT e suas entidades filiadas, CTB e suas entidades filiadas, MST, MOTUR, ANEL, centros acadêmicos da UFS e UNIT. A Conlutas contará com um mini-trio.

Salvador (BA) – O tema do Grito dos Excluídos deste ano em Salvador será "Vida em Primeiro Lugar: A Força da transformação está na organização popular". O protesto vai envolver diversos bairros populares da cidade. A organização e participação popular têm como princípio a convivência com os biomas, a segurança alimentar, a economia solidária, a equidade de gênero, etnia e geração, dentre outros. A caminhada do Grito dos Excluídos acontece tradicionalmente do Campo Grande à Praça Castro Alves.

Porto Alegre (RS) – O Grito aconteceu na sexta-feira (4) com bandeiras pelo "Fora Yeda", seguindo o percurso pelas ruas Riachuelo, Caldas Junior, Siqueira Campos e Borges de Medeiros, com encerramento na Esquina Democrática. Uma justa e verdadeira articulação das organizações sociais na construção de espaços democráticos de participação e garantidores de direitos.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.