Uma grande campanha de esclarecimento sobre o tamanho do prejuízo na vida de cada um dos servidores municipais e aposentados de Santos caso a reforma do Iprev (PLC 30/2021) passe na Câmara será colocada em movimento na próxima semana. Essa é uma das deliberações da assembleia realizada nesta quinta (19), pelo SINDSERV.

A categoria decretou estado de greve e decidiu ainda fazer um ATO na porta da Câmara, na próxima quinta-feira, às 16 horas (horário de início da sessão). A ideia é mostrar aos vereadores amigos do prefeito e inimigo dos servidores que somos radicalmente contra a mais esse ataque do Governo de Rogério Santos.

O PLC pode ser pautado a qualquer momento para votação, já que ganhou o selo de “urgência”. As mudanças nas regras do instituto farão com que os funcionários trabalhem mais e ganhem menos ao se aposentarem. Também traz grande risco de aumento nos descontos do Iprev para ativos, inativos e pensionistas. Mas são muitos outros impactos negativos!

Por isso, a maior arma agora é multiplicar as informações nos locais de trabalho, conversando com os companheiros de serviço e com os usuários para mostrar na prática o tamanho do buraco que Rogério Santos quer nos jogar. Um grupo de trabalho para organizar a categoria nesta resistência foi criado. O objetivo é garantir subsídios para que cada servidor ciente do tamanho deste golpe possa ser um vetor de convencimento na base, para que outros servidores sejam esclarecidos e se coloquem em luta.

LIVE e MATERIAL

De antemão, a categoria deliberou na assembleia a realização de uma live para retirar todas as dúvidas sobre o teor trágico do projeto. Também serão distribuídos materiais impressos com explicações didáticas e exemplos concretos das várias faces deste grande ataque em cada segmento do funcionalismo. Outras estratégias de comunicação tiradas na assembleia são a publicação de vários vídeos explicativos curtos sobre o assunto e a distribuição de adesivos e cartazes contra as mudanças.

NOVA ASSEMBLEIA

E no dia 31/8 (terça-feira), às 19h, uma nova assembleia será realizada para avaliar os rumos do movimento e decidir novas ações.

OCUPAR A AUDIÊNCIA PÚBLICA

Outra decisão é convocar toda a categoria a comparecer na audiência pública sobre o PLC 30/2021, marcada pela vereadora Débora Camilo (PSOL) para o dia 1/09, às 18h. É importante que em mais esse momento um número expressivo de servidores faça bastante pressão contra esse absurdo.

NENHUM DIREITO À MENOS! É HORA DE RESISTIR!

SÓ A LUTA COLETIVA MUDA A VIDA!