Diferente do que foi publicado no Diário Oficial, a Campanha Salarial de 2014 continua. Prova disso foi a grande manifestação ocorrida ontem (12/02) nas portas do gabinete do prefeito.

Os servidores estavam revoltados com o que classificaram de tramoia arquitetada pelo governo em conluio com o Sindest. Denunciaram que na assembleia do sindicato fantasma (que aprovou a proposta rebaixada da Prefeitura) chegaram Kombis cheias de chefias, cargos de confiança e até mesmo os "chequinhos", que nem servidores são.

A revolta também se dirigiu ao secretário de Gestão, Fábio Ferraz, que (como sempre) foi servir de escudo ao seu chefe, Paulo Alexandre Barbosa. Demagogicamente, o secretario disse mais uma vez que está aberto ao diálogo à qualquer momento, fato totalmente oposto à realidade onde coloca a guarda municipal para impedir a entrada dos servidores no Paço Municipal (que, vale lembrar, é PÚBLICO) durante a manifestação (veja as fotos).

A principal indignação foi com a tentativa do governo de encerrar a campanha salarial na marra, publicando na capa do DO: "Servidores estatutários aprovam nova proposta de reajuste salarial". Mentira deslavada que foi e continua sendo amplamente denunciada pelos funcionários públicos.

A intransigência do governo foi outro motivo que fez exaltar os ânimos dos trabalhadores. Isso porque, 7,5% cobre apenas a inflação dos últimos 12 meses e um pouco da perda do ano passado, onde tivemos abono e não reajuste no salário base (ou seja, ficamos nove meses sem aumento nas Horas Extras, nos adicionais por tempo de serviço – Qüinqüênios -, na Referência Funcional, entre outros). Portanto, esse índice proposto pelo governo não chega nem perto de recuperar parte das perdas históricas que os servidores amarguraram nos anos anteriores.

Todos sabem que a Prefeitura pode pagar bem mais para seus servidores. A previsão de arrecadação para esse ano é de 26% a mais do que 2013. E olha que essa é só a previsão, todo ano esse número sobe muito mais. Porém, os números (tão pouco o mérito) sensibilizam nossos governantes. A experiência mostra que o único argumento que esses políticos escutam é a mobilização direta dos trabalhadores. Um bom exemplo já foi dado no ato, agora vamos LOTAR a assembleia de sexta (14/02), às 19h, no Sindaport (R. Júlio Conceição, 91)! Não esqueça do holerite e do documento com foto. Só com a assembleia cheia podemos avançar no reajuste!

VAMOS MOSTRAR QUE SÓ OS SERVIDORES
PODEM DECIDIR OS RUMOS DA CAMPANHA SALARIAL!
TODOS À ASSEMBLEIA!
14/02, ÀS 19H, NA R. JÚLIO CONCEIÇÃO, 91

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.