Ato na chuva

Conforme deliberado em assembleia de forma unânime, o funcionários públicos foram até a Prefeitura no dia 29/11 protocolar as reivindicações da Campanha Salarial 2017. Essa pauta também foi discutida e aprovada na assembleia dos trabalhadores.

Antes de subir ao Paço Municipal, os servidores dialogaram com a população que circulava pela Praça Mauá na hora do almoço sobre a situação financeira atual do município. Antes das eleições a cidade estava às mil maravilhas, agora apareceram dívidas por todos os lados.

O corpo-a-corpo com a população tinha como objetivo expor as alternativas propostas pelos trabalhadores para o município driblar a crise financeira, veja o panfleto distribuído:

Panfleto - Frente Panfleto - Verso

VOCÊ SABIA?

O prefeito de Santos diz que a cidade está em crise, mas ele escondeu dívidas da Prefeitura…
Passada a eleição o rombo apareceu: 70 milhões para a Terracom (coleta do lixo da cidade), 15 milhões para a previdência dos servidores, 50 milhões para outros fornecedores, obras paradas por toda a cidade…

PROPOSTAS DOS SERVIDORES PARA CORTAR GASTOS INÚTEIS E REDUZIR A CRISE:

• Redução de 20% nos valores dos salários do Prefeito, dos cargos de confiança e dos Vereadores;
• Extinção de 30% dos cargos de livre provimento de diversas Secretarias;
• Extinção da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação;
• Extinção da Secretaria Municipal de Comunicação e Resultados;
• Extinção da Secretaria Municipal de Defesa da Cidadania;
• Extinção da Secretaria Municipal de Assuntos Portuários;
• Fusão da Secretaria Municipal de Esportes com a Secretaria Municipal de Turismo;
• Fusão da Secretaria Municipal de Segurança com o Gabinete do Prefeito.

As propostas acima foram aprovadas em assembleia dos trabalhadores da Prefeitura de Santos, por ocasião da definição das reivindicações salariais para 2017. Abaixo as outras reivindicações:
• Reajuste salarial de 13% (8% da inflação + 5% de perdas históricas);
• Auxílio Alimentação de R$ 25,00 por dia (R$ 550,00 por mês) e extensão para o segundo registro;
• Cesta Básica de R$ 355,44 (valor médio publicado pelo Diário Oficial, 21/11/2016), extensão a todos servidores (ativos e inativos) e ao segundo registro dos servidores;
• Mais 1% de contribuição da prefeitura para a CAPEP Saúde;
• Abertura de concurso público para todas as áreas com falta de pessoal, nomeação dos aprovados nos concursos vigentes, cumprimento dos Planos de Carreira e criação de cargos em número suficiente para suprir a necessidade dos serviços públicos;
• Revogação das Leis que autorizam a terceirização dos serviços públicos através de OSs, OSCIPs e ONGs;
• Revogação de todas as terceirizações, contratos pela Lei 650 e outras formas de trabalho precarizado, como: Monitores do Programa Escola Total, pagamentos por cheques (“chequinhos”) e frentes de trabalho;
• Imediata quitação da dívida com o Instituto de Previdência dos Servidores (IPREV).

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.