A Regional de Santos, Baixada Santista e Vale do Ribeira, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, repudia a atitude autoritária e antidemocrática da Secretaria de Educação de Santos, sob responsabilidade de Suely Maia, com relação ao episódio envolvendo a repórter de A Tribuna, Patrícia Fagueiro, durante o legítimo exercício profissional, em reportagem que abordava a má qualidade da merenda ofertada na UME Cidade de Santos.

Como funcionárias públicas, cujos salários são pagos com dinheiro dos impostos de santistas, a secretária Suely Maia e toda sua equipe devem ter sempre em mente que estão sujeitas a receber críticas de pais e alunos, sejam pessoalmente, por intermédio de correspondências enviadas à escola ou via reportagem, como aconteceu.

A Ditadura acabou faz alguns anos. Interpelar, gritar, ameaçar ou cometer qualquer tipo de atitude violenta ou grosseira contra profissionais de Imprensa, além de condenável em todos os sentidos é, no mínimo, uma falta de preparo técnico e psicológico, principalmente para quem lida com crianças.

Todo profissional, independentemente de ser educador ou não, deve absorver críticas e utilizá-las como forma de melhorar o desempenho ou de reflexão e não rebater de forma intempestiva, sem argumentação e com ameaças ridículas, que só denigrem a imagem do funcionalismo público de Santos.

 Carlos Ratton

Diretor Regional – SJSP

 

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.