O prefeito Papa através do decreto número 5.945, publicado no diário oficial de 1º de outubro de 2011, pretende entregar a inciativa privada o gerenciamento do Restaurante Escola a ser criado no município. A primeira medida para entregar o patrimônio público para uma instituição "filantrópica" foi a nomeação de uma comissão de avaliação junto a secretaria de turismo. Esta medida é totalmente absurda. O município tem em seu quadro de funcionários pessoas capacitadas para gerenciar uma escola deste tipo, em especial os servidores ligados a seção de nutrição da secretaria de Educação e a de Saúde. Se os profissionais podem administrar a alimentação fornecida a escolas, hospitais, Naps e outros setores, porque não poderiam cuidar do Restaurante Escola a ser criado. Se o número de trabalhadores for insuficiente que se abra um novo concurso público ou que se nomeie os concursados do último processo seletivo. A privatização faz mal aos cofres públicos e anda de mãos dadas com a corrupção e com o favorecimento de cabos eleitorais.  Os trabalhadores das empresas privadas tem salários inferiores ao do setor público e, geralmente, não tem os seus direitos respeitados. Exigimos a revogação do decreto nº 5.945 e que no Restaurante Escola trabalharem somente servidores públicos estatutários com todas as garantias que lhe são atribuídas.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.