Foi de forma pacífica, mas contundente, que os servidores municipais mostraram que não estão para brincadeira na terça-feira. Das 8 às 10 horas, cerca de 500 funcionários de várias secretarias ficaram do lado de fora do prédio do Banco do Brasil, na Rua XV de Novembro, no Centro.

O clima ficou tenso quando assessores do prefeito tentaram furar o bloqueio montado na porta do prédio e os manifestantes impediram. O guarda municipal do Banco do Brasil engrossou e sacou uma arma, mostrando total despreparo. O Sindserv fez Boletim de Ocorrência e, junto com os trabalhadores e dirigentes dos sindicatos solidários aos servidores (Sindicato dos Bancários, Sindicato dos Metalúrgicos e Sindicato dos Petroleiros) garantiu a continuidade da paralisação.

O recado foi claro à administração: não vamos nos contentar com os 4,5% oferecidos pelo Governo para o nosso reajuste salarial. Aceitar esse percentual é retroceder. A arrecadação da prefeitura tem previsão de crescer esse ano 17%, alcançando um patamar recorde. Ao prefeito e seus secretários foram concedidos 28% no ano passado, enquanto os servidores tiveram apenas a reposição da inflação.

Acumulamos perdas nos últimos 10 anos de quase 100% graças aos 8 anos sem reajuste na Era Mansur. Nossa assistência médica está sucateada e as condições de trabalho em muitos setores estão aquém do aceitável. Muitos de nós está endividado devido aos aumentos dos descontos no salário da saúde e previdência. Até quando continuaremos a ser humilhados?

O SINDSERV não se dobra e, como o definido em assembléia, continuará organizando as paralisações por locais de trabalho. Fique atento e participe!

 

 

 

 

 

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.