O atual prefeito de Santos não compareceu no encontro dos servidores com os candidatos à Prefeitura. Paulo Alexandre também foi o único prefeiturável que não concedeu entrevista para o Projeto Ataque aos Cofres Públicos sobre as Organizações Sociais (OSs). Esses atos demonstram a fuga premeditada e a falta de diálogo do atual governo. Principalmente em se tratando de duas oportunidades para falar diretamente com os funcionários públicos sobre temas referentes ao trabalho cotidiano e à valorização das carreiras.

Cai por terra mais uma vez o engodo usado largamente em suas campanhas eleitorais de que mantem o diálogo sempre aberto com os trabalhadores e que seu governo é “pura” transparência. Porque Paulo Alexandre não quis responder se reajustará os salários? Porque não quis explanar sobre a fracassada experiência de terceirização da UPA Central? Se vai continuar seus planos de terceirizações pras OSs, se vai realizar Concursos Públicos ou vai continuar fazendo seu curralzinho eleitoral por meio do esquema dos “chequinhos”?

Silêncio… Silêncio também sobre o aumento da contribuição para a Capep, sobre o calote que começou a dar nas aposentadorias dos servidores, a redução da carga horária para os servidores etc.

Diferente da postura arrogante do atual prefeito, os candidatos Carina Vitral (PC do B), Débora Camilo (PSOL), Helio Hallite (PRTB), Marcelo Del Bosco (PPS) e Paulo Schiff (PDT) compareceram ao encontro e responderam com transparência todas as perguntas formuladas pelo sindicato. O SINDSERV reconhece a atitude digna desses candidatos (mesmo que discorde das respostas) e REPUDIA as ausências de Paulo Alexandre (PSDB), Edgar Boturão (PROS) e Genival Bezerra (PSDC) que são injustificáveis, já que foi ofertada a possibilidade de comparecer em um de dois dias possíveis para todos os prefeituráveis.

imagem2542 imagem2541

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.