Os trabalhadores do Hospital da Zona Noroeste realizaram na manhã do dia 03/07 uma manifestação contra a entrega da gestão de todo o Complexo hospitalar para uma Organização Social. A população, organizada pelo movimento "Médicos Já" e associações de moradores, também participou do ato contra a terceirização do serviço público.

Os funcionários denunciaram ameaças vindas do gabinete da Secretaria de Saúde de cortar o ponto de quem participasse do ato. Rumores de que os primeiros a serem transferidos para outras unidades seriam os que se manifestassem publicamente contra a entrada da OS também não intimidaram os trabalhadores que cantaram em alto e bom som gritos de guerra, como: "Vergonha / Vergonha / OS é uma vergonha!", "Olê olê olê / Olê olê olá / Sucateou para privatizar!", "Força e ação / É o servidor junto com a população", "Saúde SIM! / OS NÃO!" e "Fora OS! / O povo não merece!".

A população está consciente de que a terceirização só vai piorar ainda mais a situação do pronto-socorro, maternidade e hospital. Isso porque são inúmeras as denúncias de corrupção envolvendo OSs que abocanham dinheiro público em todo o Brasil. Esquema fácil de ganhar dinheiro já que não há controle algum das contas dessas empresas privadas, nem do governo nem do Tribunal de Contas, que não precisam fazer licitações para compra de material e concurso público para contratar seus funcionários.

Os servidores também têm ciência do enorme abacaxi que são as OSs, uma vez que muitos já passaram pela péssima experiência de trabalhar para uma em outro município ou para o Estado. Assédio moral para atingir metas que não são benéficas para população, muito pelo contrário, como por exemplo: Agilidade no atendimento aos pacientes, economia em exames de Raio X etc.

Os funcionários podem ser realocados em qualquer unidade da Prefeitura sem direito a questionar, virando a vida pessoal pelo avesso, acabando com adicionais que compensam os baixos salários e impedindo o trabalho em outro estabelecimento.

A CAPEP e o IPREV são outras preocupações dos funcionários públicos. Com a entrada cada vez maior da iniciativa privada prestando serviço público, os Concursos Públicos tendem a minguar e, por consequência, as autarquias irão quebrar. Isso porque, quem mantém as contas da CAPEP e IPREV são as contribuições dos que estão na ativa.

A luta não acaba aqui, está apenas começando!
Engaje-se, só com a SUA contribuição poderemos BARRAR esse que é o MAIOR ATAQUE aos servidores e ao serviço público de Santos! Divulgue o que está acontecendo para os colegas de trabalho e vizinhança.

TODOS contra a entrega do serviço público!
FORA OS!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.