Como resultado das mobilizações dos servidores nesta campanha salarial, o prefeito João Paulo Tavares Papa recebeu ontem (13/04) os representantes do Sindserv. No encontro o prefeito reafirmou que não vai avançar em relação ao índice de 6% proposto anteriormente. A crise financeira internacional e seus impactos na arrecadação do município foram os argumentos apresentados novamente.

Apesar de não ter cedido no índice, Papa se comprometeu a apresentar o balanço financeiro do primeiro quadrimestre de 2009 em novo encontro entre Governo e trabalhadores, na segunda quinzena de maio.

Outra importante vitória foi o compromisso assumido de que o projeto de lei sobre a reforma administrativa não será enviado à Câmara. O Sindserv ponderou que enquanto a crise estiver instalada e não houver dinheiro para reajustar decentemente o salário do funcionalismo, gastos com a criação de mais secretarias e o aumento de cargos comissionados seriam totalmente incoerentes.

CAPEP

Uma notícia importante foi anunciada pelo Executivo atendendo uma reivindicação antiga da categoria: a Prefeitura deverá aumentar sua participação no custeio da Capep Saúde para minimizar o déficit da entidade, que chega a aproximadamente R$ 7 milhões. Hoje a alíquota do Executivo é 2%, enquanto os trabalhadores arcam com 3%.

O Sindserv questionou as falhas no atendimento médico e o grande número de descredenciamentos de profissionais, clínicas e hospitais. Um levantamento com base no guia médico da Capep feito pelo sindicato recentemente aponta que mais de 200 médicos teriam deixado de atender em razão do atraso no repasse do pagamento pelas consultas. 

Papa informou que um estudo sobre a real situação da entidade está sendo produzido. Ficou acertado então que no próximo dia 23, às 15 horas, os dados serão apresentados ao sindicato. Além de radiografar o atual estado financeiro da assistência médica, o documento deverá propor saídas para a crise.

O Sindserv reafirmou que além do investimento público na Capep, é necessário discutir a reformulação da sua gestão. O sindicato defende o fim da terceirização do gerenciamento e que a Capep seja dirigida diretamente por superintendente eleito pela categoria com a supervisão de conselheiros também eleitos.

O resultado deste encontro será levado à categoria, em assembléia a ser realizada no dia 29 deste mês, à 19 horas, em local a ser definido.  

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.