Com o aumento dos casos suspeitos de gripe suína na região e a consequente superlotação dos PSs e do Hospital Dr. Arthur Domingues Pinto de Santos, a Secretaria Municipal de Saúde têm convocado funcionários da rede para atuar em plantões extras, mas não está pagando pelas horas trabalhadas a mais.
 
No mês de junho muitos profissionais, tais como motoristas e auxiliares de enfermagem, fizeram até seis plantões extras e não foram remunerados com a respectiva diferença no pagamento do último dia 25. Em condições normais, os funcionários trabalham no regime de três plantões de 12 horas por semana, com o limite de três plantões extras por mês.
 
Assim que tomou conhecimento do problema, o Sindserv pediu explicações aos secretários de Sáude, Odílio Rodrigues, e de Administração, Edgard Mendes Baptista Jr.
 
Edgard acenou com a possibilidade dos atrasados serem pagos apenas no pagamento de agosto. Apesar das solicitações do Sindserv, a Prefeitura não formalizou esse compromisso por escrito e, por isso, desde ontem (28), os trabalhadores estão se recusando a trabalhar em plantões extras.
 
A situação no atendimento, que já estava complicada, tende a piorar e quem sai prejudicada é a população. Não há como esses profissionais dobrarem e trabalharem exaustivamente sem receber.
 
O Sindserv defende a realização de concurso público na área da saúde, medida que agora se mostra ainda mais necessária.     

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.