Cesta básica dos aposentados continua suspensa

Cerca de 2 mil professores e demais funcionários da Prefeitura de Santos que estão em férias agora em janeiro não receberam o valor equivalente ao benefício. O dinheiro deveria ter sido depositado na conta dos servidores no último dia 25 de dezembro.

O problema é recorrente. Em janeiro de 2008, a administração só pagou o direito trabalhista no dia 5, ou seja, com dez dias de atraso. Para este ano, a previsão é de pagamento apenas no dia 9.

A justificativa para os 15 dias de atraso é redução de receita. Mas sabemos que não houve queda, já que o arrecadação do ano foi 15% superior à previsão orçamentária. Além do mais, a obrigação da Secretária de Finanças é programar o pagamento desta despesa. É para isso que estão lá.

Não houve sequer uma comunicação explicando a situação aos trabalhadores. No ano passado, quando havia uma reeleição em jogo, foram só 10 dias de atraso. Esse ano a tendência é que demore mais.

O Sindserv critica a postura do chefe do Executivo, João Paulo Tavares Papa, que propôs na Câmara o aumento do seu próprio salário e dos seus secretários. O reajuste, de 28,5%, foi aprovado e está garantido. Porém, há mais de um mês, 2 mil aposentados não recebem o valor cesta básica ( R$ 90,00) e não há previsão de data para que o benefício volte a ser pago, já que depende de aprovação de um projeto de lei específico pela Câmara, atualmente em recesso.

A cesta básica dos aposentados sempre foi paga sem necessidade de qualquer lei instituindo o benefício. É curioso como só após o período eleitoral a administração tenha decidido suspendê-la.

 

 

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.