Unidos, servidores e aposentados conseguiram ontem atingir o objetivo do ato na Câmara. Com um apitaço e gritos de Fora Mota, a sessão foi interrompida.

O presidente da Câmara, Marcus De Rosis, se comprometeu no plenário, usando o microfone, que não pautará o projeto de lei que visa taxar os dependentes da Capep Saúde enquanto trabalhadores e Governo não avançarem nas  negociações. A sessão extraordinária prevista para hoje, às 10 horas, foi suspensa e agora temos a certeza de que antes do recesso não haverá surpresas para a categoria.

Na tarde de ontem, às 15 horas, o próprio De Rosis, chamou representantes do Sindserv para tratar do assunto. Ele disse que tentaria sensibilizar o prefeito Papa a repensar a proposta e atender as reivindicações da categoria,

Vencemos o primeiro round, mas ainda há muitos por vir. Com mobilização e participação nos atos e assembleias conseguiremos avançar.

O projeto de lei é um verdadeiro cheque em branco que pode mudar as nossas vidas com descontos ainda maiores nos nossos salários. Não define quem determinará os valores a serem descontados por dependente e nem de quanto serão os descontos.

Queremos:

– Que a Prefeitura contribua com 4% por tempo indeterminado
– Não à taxação dos dependentes
– Fora Mota!
– Fora empresa E&E e consequente economia de R$ 184 mil por mês
– Eleição direta para a superintendência da Capep e para conselheiros
– Mudanças na gestão da Capep

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.