Na propaganda do Governo do Estado (veja no link abaixo) Santos é retratada como uma espécie de ilha da fantasia. Para os turistas e os santistas Classe A pode até ser. Para a população e os servidores o que sobra é a dura realidade.

Na semana passada mostramos a falta de estrutura e de funcionários no PS Central. Ontem constatamos a precária situação do PS da Zona Leste:

– Falta de formulário para preenchimento de declaração de óbito (será que um governo que se diz técnico não prevê um numero de mortes alto e não coloca alguém de plantão para disponibilizar o documento para preenchimento de formulários?) fizeram ontem com que vários familiares ficassem esperando horas por esse documento para liberação do funeral;

– Bebedouros para usuários sucateados (e a pergunta que não quer calar: existe filtro central para água em condições? Quem faz essa fiscalização?);

– Macas que são improvisadas como leito deixando médicos fazendo procedimentos de urgência na mesa do consultório como se fosse maca;

– Sala de atendimento em estado precário com cadeiras em número insuficiente e algumas quebradas, fora a iluminação problemática (vários usuários aguardando sentados ao chão);

– Climatização é insuficiente ou inexistente em algumas salas;

– Espaço físico insuficiente para a demanda (vários usuários internados no corredor sem qualquer privacidade e repouso, pois e local de intensa passagem prejudicando assim sua melhora);

SE A VIDA ESTA RUIM PARA O USUÁRIO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE EM SANTOS IMAGINEM COMO É TRABALHAR PARA ESSE SISTEMA EM CONDIÇÕES COMO AS DESCRITAS ACIMA:

– Funcionários ficaram até o dia de hoje sem fornecimento de água no bebedouro do refeitório;

– Banheiros dos funcionários interditados (os que sobraram em condições viraram unissex);

– Funcionários trazem ventiladores de suas residências para amenizar o calor deles e dos usuários;

– Sala de descanso dos funcionários plantonistas com ar condicionado quebrado e sem ventilação;

– Número insuficiente de funcionários para atender a demanda tanto na parte administrativa quanto na área médica e operacional, fazendo com que os profissionais dobrem seus plantões se expondo assim a cargas virais altíssimas;

Ontem os servidores fizeram um ato no PS da Zona Leste para alertar a população para que ela não se volte contra os funcionários desvalorizados, mas sim contra esse sistema estrutural e funcional sucateado e essa desfaçatez da Secretaria de Saúde, que tem um orçamento monstruoso, mas uma administração péssima que não respeita seus valorosos funcionários e usuários.

Só com valorização dos profissionais e melhores condições de trabalho o pronto atendimento de Santos sairá da UTI!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.