A Secretaria da Educação mandou email para todas as escolas ordenando que os funcionários trabalhem metade do Recesso Escolar (30 de junho à 4 de julho). O Recesso, que vai do dia 30/06 ao dia 11/07, só vale para os professores e alunos, o resto têm que ir lá bater ponto, mesmo não tendo nada pra fazer.

Sem apresentar nenhuma justificativa, a secretária da pasta se limita a dizer que esse foi o "acordado" em uma reunião com os gestores das escolas. Acordado entre aspas, na verdade foi apenas informado. O que os trabalhadores irão fazer dentro das escolas sem os alunos? Os cozinheiros vão fazer comida pra quem? As equipes técnicas irão debater o ensino com os professores por telepatia? Segundo o email, serão realizadas "reuniões de trabalho e formação continuada". Reuniões com quem? Formação aonde?

É por isso que quando comemoramos a vitória na portaria que estendeu o Recesso Escolar aos funcionários no ano passado, fizemos questão de deixar claro que se tratava de uma vitória parcial. Pois portaria têm que ser publicada todo o ano e isso vai depender do humor de quem estiver na chefia da Seduc no momento. Se quiser punir os funcionários diminuindo ou até mesmo não dando o Recesso, assim o fará.

Por isso, nossa luta é para que o Recesso Escolar dos funcionários vire Lei. Só assim conseguiremos nos proteger e não ficamos à mercê da boa vontade dos governantes de plantão. Só assim conseguimos com que o Recesso Escolar deixe de se tornar chantagem e vire um direito de fato!

Para recarregar as energias e proporcionar um bom ambiente de ensino:
Recesso Escolar para os funcionários inteiro e não pela metade!
Na Lei e não por Portaria!
Chega de assédio moral, Recesso Escolar para os funcionários na Lei já!

Converse com os colegas e fique atento: Em breve informaremos os próximos passos de nossa luta!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.