Resposta do Sindserv publicada pelo Diário do Litoral no dia 08/02/2016
 
Após as declarações de diretores do Sindicato dos Estatutários (Sindest), em matéria publicada pelo Diário do Litoral, no último sábado (30), a respeito da representatividade sindical dos servidores municipais de Santos, a direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv) lamenta e repudia mais uma demonstração de divisionismo da categoria e de colaboração com os interesses patronais por parte dos dirigentes da entidade.
 
Na matéria, consta informação improcedente de que apenas o Sindest representa os servidores de Santos. De acordo com o vice-presidente do Sindserv, Cássio Canhoto, não é de hoje que este tipo de atitude tem ocorrido. Para o sindicalista, ela reafirma o que já se sabe daquela entidade, que nasceu após o Sindserv, exatamente para tentar sequestrar a representatividade jurídica do sindicato, dividir os servidores públicos e enfraquecer as lutas da categoria.
 
“Apesar do episódio lamentável, aproveitamos o espaço de resposta concedido pelo Diário do Litoral para esclarecer, de uma vez por todas, esta questão. Na matéria, os representantes do Sindest tentam enganar a categoria e os demais leitores, afirmando que o Sindserv somente representa os servidores contratados pela CLT. A verdade é que, infelizmente, o que ocorre em Santos é um raro e talvez único caso no Brasil de dupla representação de parcela de uma mesma categoria em uma mesma base territorial”, afirma.
 
Canhoto explica que existem duas cartas sindicais – a do Sindserv, que engloba toda a categoria (estatutários e celetistas) e a do Sindest, que inclui somente os estatutários.
 
“Um acordo firmado no Supremo Tribunal Federal em 1999, entre as direções do Sindserv e do Sindest, encabeçadas na época por Romeu Aguina e José Roberto Mota, respectivamente, foi chancelado pelo STF e assinado pelo então ministro Sepúlveda Pertence”, esclarece Canhoto, frisando que toda a documentação referente à questão está disponível para consulta na sede do sindicato.
 
O vice-presidente ainda ressalta que tal “aberração” política e jurídica tem sido combatida por amplos setores da categoria e pela diretoria do Sindserv. “Sempre lutamos pela unidade dos servidores e pela unificação de nossa representação em apenas uma entidade, ao contrário do que faz o Sindest, desde a sua fundação”.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.