Foto do boneco Pinóquio

A secretária de educação informou oficialmente que NÃO irá agendar reunião com os professores que pretendem atuar no Projeto Profissional de Apoio Escolar Inclusivo e que foram prejudicados pela Portaria 06/2021 da SEDUC.

Para nossa incredulidade a desculpa foi de que havia “impossibilidade da agenda” pois a “PRIORIDADE” seria o “COMBATE À COVID-19”.

Será mesmo que a Seduc está preocupada com o combate a COVID-19?

Vejamos a seguir alguns argumentos que nos levam a crer que os motivos são outros:

  • Reivindicamos uma reunião virtual;
  • Todos os representantes da SEDUC exercem cargos de confiança ou funções gratificadas e portanto deveriam estar a disposição para resolver os problemas e encontrar soluções para atender as demandas;
  • A reunião reivindicada pelos trabalhadores e SINDSERV, é para que juntos encontremos soluções para o atendimento das crianças e jovens com deficiências e para resolver os impasses criados pela própria SEDUC;
  • No documento de resposta, ao invés de agendar a reunião virtual para debater e atender as reivindicações dos professores e as necessidades das escolas, a secretaria nos envia respostas evasivas, mostrando claramente que NÃO está aberta ao diálogo;
  • O prefeito Rogério Santos comprometeu-se em reunião a não prejudicar NENHUM professor que tivesse trabalhado no projeto em 2019 e 2020 e não é isso que está acontecendo.

Além disso, a SEDUC está dificultando o acesso ao projeto para diversos professores por diversas formas:

  • Negou acesso ao projeto aos que apresentam comorbidades, mesmo que no ano passado diversos projetos remotos tenham sido realizados de forma exitosa;
  • Pela baixa oferta de vagas e por apresentar a maioria das vagas em apenas um dos períodos;
  • Pela baixa oferta de escolas, impossibilitando a continuidade do trabalho realizado em anos anteriores e pela ampliação das distâncias entre a escola onde o profissional está lotado no cargo e a escola onde ele atua no projeto;
  • Por autorizar somente os profissionais que já estavam no Projeto em 2019 e 2020;
  • A SEDUC chegou a estabelecer em portaria que os profissionais que assumissem o projeto teriam que trabalhar presencialmente e que para isso o professor teria que se auto declarar apto, negando alguma comorbidade e por conta disso, para poder honrar compromissos financeiros e sustentar dignamente suas famílias, teve professor que aceitou a situação e morreu, após contaminação por COVID 19.

Portanto, será mesmo que a SEDUC está preocupada com o enfrentamento da COVID-19?

Responder a esta pergunta não é difícil, pois esta política MACABRA de retorno às aulas presenciais em pleno pico da pandemia, que autorizou o convívio de alunos, professores e funcionários em espaços confinados como as salas de aula e aglomerou os trabalhadores no transporte coletivo durante o deslocamento de ida e volta ao trabalho, já deixou em menos de 40 dias um rastro de contaminações e mortes.

Todos os obstáculos que dificultam o acesso dos professores aos postos de trabalho do Projeto Profissional de Apoio Escolar Inclusivo são propositais.

O objetivo do governo é entregar mais escolas e postos de trabalho para a terceirização e passar a boiada utilizando a pandemia como desculpa.

O SINDSERV reiterou o pedido de agendamento e convocará os professores para planejarmos os próximos passos desta luta!

ABAIXO A TERCEIRIZAÇÃO!
SÓ A LUTA COLETIVA MUDA A VIDA!