A semana que passou teve balanço positivo no número de paralisações e nas adesões dos servidores municipais na campanha salarial. Foram sete paralisações em cinco locais diferentes, fora as que aconteceram no início do mês. Em alguns setores os funcionários cruzaram os braços por um período inteiro. Em muitos locais de trabalho os trabalhadores estão se organizando espontaneamente e pedem apenas o apoio do sindicato para dar o suporte necessário.

É dessa maneira que, passo a passo, continuaremos a construir uma mobilização que promete ficar ainda maior pela insatisfação dos profissionais com salários baixos e péssimas condições de trabalho e também pela intransigência do Governo.

 Ontem o prefeito enviou sem negociar com os sindicatos o projeto de lei com os 6% de reajuste para ser pautado na Câmara. O gesto mostra que Papa NÃO QUER OUVIR O QUE OS TRABALHADORES TÊM A DIZER. O Governo não levou em consideração a vontade da maioria expressa em assembleia, quando, por unanimidade, a contraproposta da administração foi rejeitada. Com essa postura, Papa deixa como única escolha para os trabalhadores a realização de mais paralisações, desta vez com alcances mais amplos e por períodos maiores.

 Escolas

O Sindserv agradece aos professores, funcionários, pais e comunidade das UMEs Yara Nascimento Santinni e Maria de Lourdes Bernal, ambas no Castelo, pela participação nas paralisações que aconteceram na sexta-feira. Todas tiveram adesão necessária dos trabalhadores e a compreensão e o apoio da comunidade.

 

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.