Trecho do filme "Shrek" onde o Lord Farquaad fala: "Alguns de vocês podem morrer, mas é um sacrifício que eu estou disposto a fazer".

Os trabalhadores da Educação se reuniram em assembleia na última quinta-feira (08/04) e resolveram acentuar a luta pela manutenção das aulas remotas enquanto toda a comunidade escolar não for vacinada.

1 cozinheiro e 2 professores MORRERAM após a primeira tentativa IRRESPONSÁVEL de retornar com as aulas presenciais nas escolas municipais de Santos. Nas particulares foram pelo menos mais 2 professoras que vieram a óbito.

Isso tudo com apenas um mês e meio de aulas presenciais. A experiência desastrosa foi do dia 01/02 até o dia 15/03 e contribuiu decisivamente para o maior pico de toda a pandemia.

Mesmo assim…

O governo quer colocar novamente a vida dos professores, funcionários, alunos e familiares em risco. Decretou oficialmente volta às aulas presenciais pro dia 12/04. Depois noticiou que as aulas presenciais só voltam em maio, mas:

1) Não houve nenhuma nova publicação oficial sobre essa nova data;

2) A notícia fala de aula presencial só em maio, mas afirma que a partir do dia 12 as UMEs estarão abertas para “apoio pedagógico”.

Ou seja, a comunidade escolar ainda estará em risco a partir de hoje (segunda-feira).

E a vacinação que começou neste sábado também não atinge todos os profissionais. Primeiro porque será somente para quem tem a partir de 47 anos, excluindo a maioria dos trabalhadores. Segundo que não inclui toda a comunidade escolar, deixando de fora os Auxiliares Bibliotecários, Técnicos em Biblioteconomia, Agentes de Portaria, professores e funcionários readaptados, alunos e familiares.

TODOS À LUTA!

No dia 13/04 (terça-feira), às 19h, os servidores se reunirão virtualmente (sindservsantos.org.br/reuniao) para discutir as ações práticas que farão para ampliar a campanha pela permanência das aulas remotas enquanto não houver vacinação. PARTICIPE!