Não foi dessa vez que os vereadores conseguiram dar o aval para entregar de TODOS os serviços e bens públicos para a iniciativa privada. Devido a manifestação dos servidores, junto com trabalhadores de diversas categorias, os vereadores não fizeram a sessão extraordinária que deveria acontecer hoje (13/12) na Câmara de Santos.

Vereadores esses que, de forma extremamente antidemocrática, queriam votar o Projeto 282/13 (das Organizações Sociais) sem discussão alguma com a sociedade. E eles continuarão tentando votar esse Projeto na semana que vem, pois já estão marcando sessões extraordinárias. A primeira acontece segunda-feira (16/12) às 15h.

Como na sessão de hoje a coordenação da Guarda Municipal já deu um show de autoritarismo (não querendo que ninguém entrasse antes do horário, exigindo fila indiana, revistando bolsas…), o SINDSERV SANTOS convoca todos para que cheguem às 14h!

Lei de Murphy
Se já não bastasse o Projeto de Lei 242/12 das PPPs (Parcerias Público-Privadas) já aprovado e esse PL 282/13 das Organizações Sociais em "discussão", o prefeito Paulo Alexandre Barbosa mandou outro Projeto para ser analisado pela casa legislativa. Não satisfeito em doar a cidade toda para os "Parceiros" e para as "Organizações Sociais", ele quer agora dar uma outra fatia do dinheiro público (arrecadado através de impostos do munícipes) para as OSIPs (Organizações da Sociedade Civil de "Interesse Público").

Como rege a Lei de Murphy: "Tudo que está ruim pode piorar". E é esse o caso atual na cidade de Santos. Mas no frigir dos ovos, os três projetos tem a mesma finalidade: Privatizar TODOS os serviços públicos do município passando uma enorme quantidade de dinheiro para entidades privadas onde a população, na prática, não poderá ter controle nenhum da verba investida. É passar o montante (e bota montante nisso) arrecadado pelos munícipes para seus amigos empresários.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.