Os funcionários municipais debateram em assembleia no dia 29/10 os próximos passos do movimento que pede Reclassificação para diversos segmentos da Prefeitura de Santos. A mais importante discussão girou em torno da contraproposta apresentada pelo governo: Os trabalhadores REJEITARAM qualquer abertura para rediscutir o Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos.

A Secretaria de Gestão colocou essa "proposta" para os servidores, durante reunião no dia 22/10, com a justificativa de que é preciso criar níveis salariais intermediários entre as letras "P" e "Q" para que seja possível a Reclassificação. Os trabalhadores sabem que a diferença entre esses níveis é relevante (100%) e que isso pode afetar o andamento de todos os demais pedidos.

Todavia, ponderaram na assembleia que reabrir a discussão do PCCV seria um enorme risco para toda a categoria, levando em conta a total falta de credibilidade do atual governo e da Câmara dos Vereadores. Vale lembrar que ambos deram verdadeiros golpes nos servidores durante a Campanha Salarial desse ano e a aprovação das Leis que permitem a terceirização de quase todos os serviços públicos.

A assembleia definiu que um Grupo de Trabalho irá analisar os números apresentados pelo governo (veja aqui e aqui) para avançar na luta. Há várias alternativas que não necessitariam alterar o Plano de Carreiras, uma delas seria Reclassificar todos os demais níveis e fazer um planejamento para dar ao nível "P" gratificações periódicas, por exemplo.

O grupo irá se reunir para estudar todas as possibilidades e levar uma proposta para a assembleia dos trabalhadores. Essa reunião do Grupo de Trabalho será no dia 10/11 (segunda-feira) às 18h30 na sede do sindicato (Av. Campos Sales, 106 – Vila Nova) e é aberta a todos os trabalhadores que tiverem disposição.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.