A assembleia dos servidores foi enfática na decisão de enfrentar desde já o plano do governo Paulo Alexandre de entregar serviços públicos para as famigeradas OSs (Organizações Sociais). A luta tem que ser travada agora e não apenas quando os problemas aparecerem, quando perdermos nossos postos de trabalho ou quando irem pra falência a CAPEP e o IPREV!
 
Para combater esse mal que se alastra por todo o Brasil (veja aqui diversos escândalos por todo o pais de desvios de dinheiro público e sucateamentos de serviços), os trabalhadores decidiram engrossar o próximo ato promovido pela "Frente em Defesa dos Serviços Públicos, Estatais e de Qualidade" ainda sem data e local definidos.
 
Outra iniciativa será a de voltar para os locais de trabalho, informar os colegas e sensibilizá-los da grande bomba relógio que a Prefeitura está tentando armar no município, tanto para a população quanto para os servidores. Como "Santo de casa não faz milagre", o sindicato ressaltou mais uma vez que está aberta a possibilidade de ir em qualquer setor onde os trabalhadores tenham qualquer dúvida sobre todo esse processo de verdadeira privatização da Prefeitura.
 
Imposto Sindical
Outra importante pauta debatida na assembleia foi o Imposto Sindical que, como já foi divulgado, a partir desse ano será garfado pelo "sindicato-amigo-do-patrão" (aquele da Rua Monsenhor de Paula Rodrigues). Os servidores tiraram todas as dúvidas relativas ao golpe jurídico que retira de TODOS os funcionários da Prefeitura de Santos parte de seu salário relativo a um dia de trabalho por ano.
 
Nessa assembleia, o SINDSERV tomou conhecimento de que diversas unidades já estavam se organizando para pedir a devolução do Imposto através de abaixo-assinados, telefonemas e até presencialmente.
 
Diferente dessa corja que se diz sindicalista, o SINDSERV devolverá a sua parte (60%) do Imposto Sindical de todos os celetistas. Infelizmente, o sindicato dos servidores não poderá devolver nada para os estatutários, pois todo esse dinheiro será depositado na conta do "sindicato-de-fachada".
 
O SINDSERV devolve o todo o dinheiro que foi retirado impositivamente dos trabalhadores (em março) e é depositado em sua conta (geralmente em abril). A entidade faz isso pois acredita que a contribuição dos trabalhadores tem que ser feita de forma voluntária e não imposta.
 
Você que foi descontado impositivamente, EXIJA SEU DINHEIRO DE VOLTA!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.