Os servidores municipais de Santos também querem o aumento de 28,53% que o prefeito Papa deu para si próprio e para os seus secretários.

Em assembléia realizada na quinta-feira, esta e outras propostas foram discutidas e aprovadas pela categoria. Vale lembrar que há quatro anos, Papa também reajustou os vencimentos do 1º escalão de seu governo em 33%. O argumento de que a crise financeira internacional pode afetar a concessão de um reajuste que pelo menos minimize as perdas salariais sofridas pelo funcionalismo durante 8 anos sem aumento, portanto, não se justifica. Os 28,53% pedidos serão a cargo de aumento real, ou seja, além da reposição da inflação dos últimos 12 meses que, segundo o Dieese, foi de 7%.

A pauta de reivindicações será protocolada na próxima quarta-feira, dia 28, às 17 horas, diretamente no gabinete do prefeito.

Além do reajuste, outras reivindicações foram oficializadas na assembléia. Veja a seguir:

  • Mesmo índice de aumento dos salários para o reajuste do valor da cesta básica;

  • Volta do pagamento da cesta básica para os aposentados;

  • Extensão da cesta básica para todos os níveis (hoje só servidores até o nível L têm direito);

  • Apoio ao abaixo-assinado de servidores de níveis M, N e O na luta pela concessão de cesta básica;

  • Auxílio-alimentação de R$ 220,00 também para os aposentados;

  • Extensão do adicional por tempo de serviço para os celetistas estáveis.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.