O Sindserv esteve presente  nas audiências públicas  realizadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) para discutir a reformulação da resolução 03/97, que trata das  diretrizes  para os planos de carreira do magistério  público. Após a primeira audiência pública em São Paulo,  o sindicato realizou uma assembléia no dia 19 de novembro,  onde um documento com propostas de diretrizes para os planos de carreira do magistério foi construído para ser apresentado e defendido nas audiências de Olinda e Brasília.
 
Entre as propostas apresentadas pelo Sindserv estão que 1/3 da jornada referente às horas de trabalho pedagógico e horas livres sejam discutidas e definidas pelo projeto político pedagógico das escolas; nº de alunos definido proporcionalmente ao nível de ensino; que a avaliação de desempenho conte apenas com fatores objetivos de aferição, sendo realizada pelo Conselho de Escola; que o CNE indique à União o estabelecimento de mecanismos para obrigar estados e municípios a implantarem seus planos de carreira do magistério, respeitando o que estabelece a resolução. A íntegra de todas as propostas pode ser lida no site do Sindserv.

Agora precisamos continuar acompanhando este debate e pressionando para que de fato a resolução garanta a valorização do magistério, já que alguns gestores estão pressionando para  que propostas como o número de alunos por classe e a valorização da remuneração não façam parte da resolução. Pelo site do CNE (www.cne.org.br) os educadores podem se manifestar à respeito das propostas.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.