Nenhuma novidade na noite de ontem durante a sessão da Câmara dos Vereadores. Como esperado, os legisladores da cidade votaram obedientemente o Projeto de Lei enviado pelo chefinho Paulo Alexandre Barbosa que põe em risco todas as aposentadorias dos servidores, diminuindo o repasse da Prefeitura para o IPREV de 6% para 2%.
 
Na Tribuna Cidadã, o SINDSERV revelou uma misteriosa coincidência: O montante que a Prefeitura vai economizar tirando do Instituto de Previdência dos servidores é exatamente a mesma quantia que será entregue para a Organização Social Fundação ABC gerenciar o PS Central.
 
Ou seja, o governo Paulo Alexandre está economizando (às custas da previdência dos servidores) para poder financiar o seu plano privatista de entregar serviços públicos para empresas privadas.
 
Se a justificativa é a crise, os servidores já apontaram aonde a Prefeitura deveria cortar para economizar. Logicamente que o governo negou acatar qualquer uma das sugestões da categoria, já que isso significaria cortar diretamente os currais eleitorais de todos os partidos aliados montados em cima do serviço público. Centenas de "chequinhos" e cargos de confiança que mamam nas tetas do município em troca do apoio político irrestrito.
 
Para se ter uma ideia, nas sessões extraordinárias de final de ano será votado isenções de IPTU para os donos dos clubes da cidade. Votarão também a compra de um terreno por um preço bem maior do que o seu valor venal.
 
Veja quem são os (ir)responsáveis que estão colocando nossas aposentadorias em risco:
 
Ademir Pestana (PSDB) Adilson Jr (PT) Antonio Carlos Banha (PMDB) Cacá Teixeira (PSDB) Douglas Gonçalves (DEM) Boquinha (PSDB) Hugo Duppre (PSDB) Carabina (PR) José Lascane (PSDB) Professor Kenny (DEM) Manoel Constantino (PMDB) Murilo Barletta (PR) Roberto Oliveira (PMDB)Sadao Nakai (PSDB) Sandoval Soares (PSDB) Sergio Santana (PTB) Zequinha Teixeira (PRP)

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.