Em reunião realizada no dia 28/01, o Governo Municipal entregou sua contraproposta (veja abaixo) para as reivindicações da campanha salarial definidas pelos servidores. Ela será analisada em assembleia no dia 6 de fevereiro (quinta-feira), às 19h, no auditório do Sindaport (R. Julio Conceição, 91).

"Simbora" decidir os rumos de nossa luta coletivamente! A sua participação nessa assembleia é fundamental para que o conjunto tome as decisões certas! Convoque seus colegas de trabalho para irem juntos! COMPARE:

REAJUSTE SALARIAL

Nossa reivindicação Proposta do Governo
16% (6% da inflação dos últimos 12 meses + 10% de parte das perdas históricas) 6%
Desde o ano passado, a prefeitura já vinha alardeando que a campanha salarial desse ano seria mais tranquila e acabaria rapidamente porque eles já haviam inserido no orçamento de 2014 os 6% para os funcionários do município. Diziam que esses 6% seriam o ponto de partida e não a proposta de reajuste da administração pública, o que se provou uma grande mentira. Querem, desde o ano passado, que os servidores engulam apenas o reajuste relativo a inflação que corroeu nossos salários nos últimos 12 meses. Os servidores lutam por mais 10% relativos às perdas históricas, incluindo o ano passado onde tivemos 8% de abono e ficamos 9 meses sem que esse reajuste incidisse nas Horas Extras, nos adicionais por tempo de serviço – Qüinqüênios – e na Referência Funcional.

AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

Nossa reivindicação Proposta do Governo
R$ 440 (R$ 20 por dia) 6% de reajuste, o que dá R$ 329,56 (R$ 14,98 por dia)
A prefeitura quer manter nosso Auxílio Alimentação na casa dos 14 reais! "Aumentar" de R$ 14,13 para R$ 14,98, pode?!? Santos é considerada a 2ª refeição mais cara entre todos os municípios do país, perdendo apenas para a cidade do Rio de Janeiro.

CESTA BÁSICA

Nossa reivindicação Proposta do Governo
R$ 306,34 (extensiva à todos os aposentados) 10% de aumento, o que dá R$ 157,45
Essa proposta de aumento é quase a metade de uma real cesta básica em Santos. E isso não é o SINDSERV quem diz, a própria prefeitura publica no Diário Oficial quanto custa a cesta básica nos supermercados da cidade. Além de lutar por uma cesta básica inteira (e não pela metade), queremos também que a mesma seja estendida para todos os aposentados, sem restrição.

CONTRIBUIÇÃO DA PREFEITURA PARA A CAPEP-SAÚDE

Nossa reivindicação Proposta do Governo
Mais 1% de contribuição da prefeitura 0,25%
A prefeitura quer aumentar em apenas 0,25% a sua parcela de contribuição para a CAPEP. É urgente o aumento desse percentual para que a autarquia que cuida de nossa saúde não entre no vermelho novamente. Não queremos que ocorra o mesmo problema que os servidores de Cubatão estão enfrentando (veja aqui).

CONCURSOS PÚBLICOS

Nossa reivindicação Proposta do Governo
Imediata nomeação de todos os concursados; Criação de novos cargos; Abertura de novos concursos.  "(…) a Administração se compromete a buscar as melhores formas de contratação para o serviço público (…)"
Embora a prefeitura tenha anunciado que irá realizar um novo concurso, o número de cargos não chega nem perto do suficiente para sanar problemas graves nos serviços prestados para a população. Porque a prefeitura não nomeia todos os que já passaram nos concursos que ainda estão no prazo? Porque não cria novos cargos e abre concursos públicos nas áreas onde há escassez?

REVOGAÇÃO DAS LEIS DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS

Nossa reivindicação Proposta do Governo
Revogação das Leis que entregam o patrimônio e serviços públicos para as OSs e OSCIPs "(…) blá blá blá (…)"
Os trabalhadores resolveram encarar a luta pela revogação das Leis das OSs e OSCIPs na campanha salarial e isso tem que ser respeitado. A contraproposta do Governo será analisada em todos os seus itens e a desconsideração completa desse item em específico pode modificar todo o rumo do movimento. Mais respeito com a opinião dos servidores que não querem que Santos entregue seu patrimônio e serviços públicos para empresas privadas disfarçadas de não-lucrativas.

PRIVATIZAÇÕES E TERCEIRIZAÇÕES

Nossa reivindicação Proposta do Governo
Fim de todas as terceirizações, privatizações e outras formas de trabalhos precarizados que já ocorrem no município Não respondeu
A Secretaria de Gestão não respondeu nada sobre as formas de trabalhos precarizados que existem atualmente no município. São diversas as áreas já terceirizadas, onde o serviço público foi privatizado. Trabalhadores do Escola Total, por exemplo, não têm direitos básicos garantidos pela CLT; Outro exemplo, são os trabalhadores que cuidam da limpeza das escolas que tiveram que fazer greve para ter o pagamento da empresa terceirizada Facility, que também não está contribuindo com o INSS deles. Também são fartas as denúncias de pagamentos através de chequinhos, "cachês", frentes de trabalho,…

TODOS À ASSEMBLEIA!
06/02, ÀS 19H, NO SINDAPORT
(R. Julio Conceição, 91)!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.