O projeto de lei que estabelece mudanças na arrecadação da Capep Saúde e a taxação de dependentes dos servidores foi aprovado hoje em primeira discussão na Câmara de Santos.

Como era esperado, os vereadores fizeram bem a lição de casa encomendada pelo Governo. Apesar dos gritos de protestos de servidores e aposentados, rapidamente a proposta foi votada em sessão extraordinária, realizada às 10 horas. Agora o texto deverá ser votado em segunda discussão na próxima segunda-feira, às 10 horas.

A manobra utilizada pela base aliada da administração na Câmara, orquestrada pelo presidente da casa, Marcus De Rosis, surtiu efeito que o Governo esperava.  Entretanto, na hora de decidirem em quem votar nas próximas eleições os servidores e aposentados não vão esquecer a rasteira que levaram.

O presidente Marcus De Rosis deu sua palavra de que a proposta não seria pautada antes do recesso, caso não ocorressem avanços nos pontos defendidos pela categoria. De Rosis não cumpriu a palavra e mais uma vez quem terá de pagar pelo rombo na entidade é o servidor, vítima dos anos de descaso e desleixo com o gerenciamento da Capep.

Taxação

Os Sindserv já demonstrou, com números baseados nas próprias contas da Capep, que para a autarquia voltar a ter superavit (receita maior que despesas), basta dobrar a contribuição da Prefeitura de 2% para 4% sobre a folha de pagamento. O próprio Governo já admitiu que a taxação dos dependentes serviria apenas para cobrir os gastos administrativos da Capep. Já as despesas com atendimentos e procedimentos médicos seriam custeadas pelo dinheiro obtido com o aumento da contribuição da Administração. Este é mais um motivo para defendermos:

– mudanças na gestão da autarquia com modernização e informatização do controle de procedimentos médicos para evitar fraudes e desvios

– que o atual superintendente Mota seja retirado do cargo

– fim do contrato com a empresa E&E

– eleições diretas para a Superintendência e Conselho Administrativo.

Tudo isso geraria uma economia suficiente para bancar os custos administrativos e ainda capacitar servidores públicos de carreira capazes de gerenciar com profissionalismo a Capep Saúde.

VAMOS CONTINUAR A DIZER NÃO À TAXAÇÃO. MAIS DO QUE NUNCA É PRECISO MOSTRAR NOSSA INDIGNAÇÃO NA SEGUNDA VOTAÇÃO DO PROJETO NA CÂMARA.

DATA – SEGUNDA, DIA 6

HORÁRIO – 10 HORAS

COMPAREÇAM!

 

 

 

 

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.